8.0 // COLUNISTAS8.3 // DENISE PRADO 

Mamãe eu quero, Mamãe eu quero Mamar…

Quem disse que ser mãe de bebês e crianças pequenas é se privar de brincar o carnaval? Quem disse que amamentar em público no carnaval é um sacrifício ou mesmo uma ofensa as pessoas?

O carnaval é o melhor momento para que mamães e papais que trabalham e tem pouco tempo para curtir com suas crias, possam através dos bloquinhos e bailinhos espalhados pela cidade, soltar a imaginação dando asas às fantasias das crianças.  Elas saem vestidas de super heróis, bailarinas, princesas, personagens dos desenhos animados, palhacinhas e palhacinhos, joaninhas, vaquinhas, e o que mais quiserem inventar para nesse momento poderem viver toda a imaginação que lhes é peculiar.

O Bloquinho Carnavalesco Tindôtetê nasceu da vontade de um grupo de oito mães de pular o carnaval com seus filhos literalmente grudados a elas.  Elas então resolveram botar o bloco na rua como conta Dani Sá. “Somos um grupo de 8 pessoas que hoje cuida do Tindôtetê. Acontece que todas nós gostamos de carnaval, e comentamos com a pediatra em comum que seria legal a gente fazer um bailinho pras nossas crianças, que na época nem tinham um ano. Então nossa pediatra, a Vânia Gato, fez um grupo no WhatsApp com as mães de pacientes que topavam fazer o tal bailinho, conversa vai, conversa vem, resolvemos fazer bloco e abrir pra geral, afinal a cidade é carente de eventos de carnaval para pequenos, são poucos alem dos bailinhos do SESC. Fizemos uma coleta entre as próprias pacientes e conseguimos juntar dinheiro para pagar a bateria da Cásper Libero, e a bikesom do Ciclosonoro. Em 2016 o Tindôtêtê fez seu primeiro desfile com cerca de mil foliões, nossa marchinha falava dos benefícios da amamentação, e foi composta pela Clarisse Barreiros. Este ano o desafio era botar o bloco na rua com praticamente todas as organizadoras de volta ao mercado de trabalho e com as crianças entrando nos terrible two. Não foi fácil sincronizar datas de encontros e muita coisa foi resolvida com reuniões online. Desta vez, o bloco falou sobre maternidade real no desfile, que ocorreu na praça Rotary, na Vila Boin, e levou 2 mil pessoas entre pais avós, crianças e bebês, para brincar o carnaval.”

O bloco saiu dia 18 de fevereiro, aproveitando as sombrinhas das árvores para que as crianças pudessem mamar a vontade em seus tetês. Todo cuidado é pouco e elas não deixam nada passar, na sua página no Facebook, as mamães e papais encontraram toda orientação para que os pequenos estivessem em segurança. Confeccionaram pulseiras de identificação para que ao chegar ao bloco fossem imediatamente colocadas nas crianças com o nome e telefone do responsável, pediram também que se qualquer adulto encontrasse uma criança perdida que a colocasse no ombro e batesse palmas para que seu responsável pudesse vê-la. Além da segurança, também deram dicas do que levar e garantir que a criança estivesse protegida do calor e fresquinha, como mamadeiras, água e fantasias leves.

Para ouvir a marchinha desse ano, composta pela diva-mor Clarisse Barreiros com contribuição da não menos diva-mor Ana Thais Vargas, acesse o link abaixo.

E para quem perdeu o Tindôtetê, dia 24 de fevereiro às 15 horas sai o bloco Emílias e Viscondes da Biblioteca Monteiro Lobato, na região central de São Paulo. O tema deste ano, “A Pílula Falante do Dr. Caramujo”, narra um dos momentos marcantes da história de Emília quando a boneca de pano começa a falar. Antes do grande dia, o grupo carnavalesco deu início aos preparativos para o desfile com suas oficinas.

A biblioteca abriu as portas para confecção de adereços relacionados aos personagens do Sítio do Picapau Amarelo, sempre das 15h às 17h, nos dias 3, 8, 10, 15 e 17 de fevereiro.  A produção vai desde cartolas de Visconde até máscaras da Cuca, perucas da Emília e gorros do Saci.  A bateria ensaiou no mesmo local nos dias 7, 9, 14 e 16 de fevereiro, das 15h às 17h. Bastava levar caixa, surdo, xequeré, agogô, tamborim, ganzá ou repique e se juntar ao grupo. Nos dias 21, 22 e 23 de fevereiro, serão realizados os ensaios gerais a partir das 15h.

Aprendam a marchinha deste ano e venham pular o carnaval no bloco Emílias e Viscondes dia 24/02/2017 a partir das 14h na biblioteca infantojuvenil monteiro lobato!

A pílula falante do Dr Caramujo – (Jica Thomé e André Perine)

Narizinho andava meio triste
sua bonequinha não falava nada
resolveu pedir ajuda
Dr Caramujo trouxe a solução

Narizinho andava meio triste
sua bonequinha não falava nada
resolveu pedir ajuda
Dr Caramujo trouxe a solução

A pílula falante
A pílula falante
foi santo remédio para situação
mas em compensação…
Emilia fez um carnaval

falou, falou, falou, falou, falou
falou, e, nunca mais parou!
falou, falou, falou, falou, falou
falou, e, nunca mais parou!

falou, falou, falou, falou, falou
Emília nunca mais parou!
falou, falou, falou, falou, falou
Emília nunca mais parou!

E eu como uma avó muito animada e presente me divirto com as minhas netas e com as crianças que estão a minha volta, que são A Mais Influente inspiração todos os dias para eu soltar a imaginação, botar o bloco na rua e independente do carnaval, me sentir, princesa, rainha, boneca, bailarina, e quem mais eu quiser ser!

Bom Carnaval pra todo o Mundo!

saiba antes via instagram @amaisinfluente