0.0 // GERAL 

Distrito Federal terá racionamento de água aumentado para 48 horas

A Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do Distrito Federal (Adasa) autorizou a ampliação do racionamento de água para um limite máximo de 48 horas. A decisão está publicada no Diário Oficial e passa a valer a partir desta sexta-feira (20/10), por meio da Resolução nº 23. A Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb) solicitou a autorização na terça-feira (17), por meio da Carta n. 40.922/2017.

Em entrevista coletiva, o governador Rodrigo Rollemberg reforçou que o rodízio ainda não será ampliado. “Qualquer decisão só será tomada a partir de critérios eminentemente técnicos”, destacou.

Em nota, a Caesb informou que a resolução apenas autoriza o reajuste, o que não significa, necessariamente, uma mudança no regime de abastecimento. “A Companhia continua acompanhando a curva de volume útil dos reservatórios, a chegada das chuvas e o consumo de água da população”, alegou a estatal.

A resolução também estabelece que a Adasa fará uma análise mensal do volume do reservatório, das condições climáticas, do consumo da água e das vazões dos afluentes. Somente assim, a empresa estatal poderia alterar o regime do racionamento.

Além disso, a Adasa determinou que, nos dias pares, haja suspensão das captações de água superficial dos principais afluentes do reservatório do Descoberto. São eles o rio Descoberto, córrego Chapadinha, córrego Olaria, córrego Capão Comprido, ribeirão Rodeador e ribeirão das Pedras.

A Caesb dará mais informações em coletiva de imprensa marcada para as 15h.

Volume morto

Diante da grave situação hídrica em que vive o Distrito Federal nos últimos meses, a Adasa considera utilizar o fundo emergencial do volume morto do reservatório do Descoberto.

Por meio da Portaria nº 24, também publicada hoje no DODF, a Adasa liberou R$ 6,25 milhões da tarifa de contingência para obras de captação do volume morto, que ficará a cargo da Caesb. O órgão deverá apresentar em até dez dias um cronograma atualizado de implantação do sistema.

Na mesma edição do Diário Oficial, a Adasa disponibilizou mais R$ 15 milhões para que sejam finalizadas obras já em curso.

Fonte: Correio Braziliense

Foto: Reprodução

saiba antes via instagram @amaisinfluente