3.0 // MANUAL3.4 // SAÚDE 

Surpreendente: conheça os danos causados pelo desodorante

 

Indispensável no dia a dia de mulheres e homens, o desodorante carrega químicos capazes de desencadear diversas doenças.

O produto é usado para disfarçar e prevenir os odores do corpo humano, especialmente durante climas mais quentes, já que, em muitos casos, água e sabão não dão conta de acabar com o cheiro produzido pelo suor das axilas durante todo o dia. No entanto, se duas palavras podem descrever bem os desodorantes convencionais, essas são triclosan e alumínio. Esses componentes são capazes de causar danos à saúde humana e ao meio-ambiente, mas, mesmo assim, são encontrados facilmente na grande maioria das fórmulas. E como no Brasil o costume é reaplicar o produto ao longo do dia, quantas vezes forem necessárias, atitude que aumenta o nível de exposição aos componentes químicos. Além disso, as versões em aerosol podem ser facilmente inaladas cada vez em que pressionamos a válvula.

Alguns estudos sugerem a relação do produto ao câncer de mama, devido à presença do alumínio, mas o Instituto Nacional de Câncer necessita de mais provas científicas para corroborar esta informação. No entanto, outros especialistas afirmam que o mineral pode sim causar esse e outros malefícios, e, em meio a essas incertezas e discórdias, os consumidores, preocupados com a saúde, devem sair em busca de alternativas mais seguras.

Sinal de alerta

A morte de uma criança de 7 anos, provocada pela inalação direta de um desodorante aerosol no início do ano, em São Bernardo do Campo (SP), reacendeu o debate sobre os danos causados por um produto aparentemente inofensivo. Apesar do caso ter sido uma fatalidade isolada, a rapidez com que a substância agiu no organismo da criança causou espanto e deixou os consumidores em estado de alerta. Segundo os especialistas o principal perigo está na exposição à longo prazo e ninguém está imune aos malefícios que os componentes do produto podem causar.

Cuidados básicos

A pesquisa “A percepção dos consumidores brasileiros sobre cosméticos sustentáveis”, realizada pelo portal especializado Use Orgânico, contou com a participação de 1.517 consumidores de todas as regiões do país e revela que a maioria dos consumidores (82,5%) se preocupa com a qualidade dos produtos que passa no rosto, corpo ou cabelo tanto quanto dos alimentos que ingere. Tanto é que 44,6% afirmam que escolhem o produto com base na qualidade, em detrimento do preço, e 77% verifica os componentes da fórmula. No entanto, dados do mercado demonstram que os desodorantes convencionais são itens amplamente consumidos, mesmo diante dos debates sobre seu perigo iminente.

Veja a seguir os principais componentes, potencialmente tóxicos, que compõem a formula da maioria dos desodorantes convencionais:

Alluminium

Muitos cosméticos apresentam esse componente, mas os desodorantes e antitranspirantes são os campeões. Os produtos podem chegar a conter até 20% da substância na forma de cloridratos de alumínio e hidratos de zircônio. Segundo o parecer da American Câncer Society, esses produtos são capazes de irritar a pele e levar ao desenvolvimento de uma infecção chamada hidradenite supurativa, que começa na glândula sudorípara da axila e pode desencadear bacteremia (bactérias na corrente sanguínea) se não for tratada adequadamente. Além disso, o uso prolongado destas substâncias é considerado um dos fatores de risco associados ao câncer de mama em alguns estudos.

Triclosan

Um estudo realizado pela Universidade da Califórnia e publicado na revista Proceedings of the National Academy of Sciences, chama a atenção para os malefícios dessa substância antibacteriana encontrada frequentemente em produtos de higiene pessoal, como sabonetes líquidos para as mãos, sabonetes íntimos, cremes dentais e desodorantes. Segundo as pesquisas, além de causar irritações na pele, a substância é capaz de interferir nas funções dos hormônios reprodutivos e também pode danificar o fígado, gerando danos graves, como a fibrose hepática e, até mesmo, o desenvolvimento de células cancerígenas.

 

Como evitar o mau cheiro de maneira saudável

Entre receitas caseiras e produtos naturais, a dica médica é procurar por aqueles que que são atestados pelos órgãos competentes, para neutralizar o mau cheiro e, ao mesmo tempo, preservar a saúde.

 

Fonte: Use Orgânico
Foto: Reprodução

saiba antes via instagram @amaisinfluente