5.0 // DOSSIÊ5.2 // FAMÍLIA 

Protagonismo financeiro feminino cresce no País em 2018; Veja dados

Esqueça a ideia de que o mundo das finanças desperta interesse apenas no público masculino! De acordo com uma pesquisa da Konkero, portal comparador de produtos financeiros e finanças pessoais, as mulheres são maioria entre os internautas que buscam informações sobre finanças para a casa. Segundo o levantamento, elas representam mais de 58% do total de usuários. Apenas no primeiro semestre de 2018, foram 4,4 milhões de mulheres que acessaram o portal a fim de tomar melhores decisões financeiras. Entre os temas mais pesquisados, destaque para negociação de dívidas; redução de gastos; ganhar dinheiro; e reorganização de gastos.

“As mulheres estão tomando a frente das finanças para dar melhores condições de vida para as próprias famílias. E são ainda mais representativas quando o assunto versa sobre finanças pessoais”, analisa Guilherme de Almeida Prado, fundador da Konkero e coordenador do levantamento. Durante o ano de 2017, o portal recebeu mais de 15 milhões de usuários, representando 12,8% do tráfego da internet brasileira. O portal, que traz orientações sobre como cuidar do dinheiro, é dividido em duas grandes seções: finanças pessoais e comparação de produtos financeiros. Na primeira, o público feminino representa 63% dos usuários. De acordo com o executivo, as mulheres são grandes influenciadoras nas decisões financeiras da família.

Um outro dado interessante é que as mulheres predominam no mobile, que representa 62% dos acessos do site. Segundo Almeira Prado, isso mostra que a mulher usa o celular para buscar por informação em micromomentos ao longo do dia. “Com uma agenda corrida, muitas vezes de dupla jornada, a mulher está usando o celular para conseguir resolver os problemas financeiros da sua família”, analisa, acrescentando que o tablet concentra 59% dos acessos femininos e o desktop 50%. “Mesmo com esse cenário, o setor bancário é dirigido essencialmente por homens, o que resulta em campanhas e produtos pensados para um público masculino. Essa visão precisa mudar e rápido. Os bancos que enxergarem isso primeiro, vão sair na frente”, afirma o empreendedor.

  • PRINCIPAIS CONCLUSÕES DA PESQUISA 

As mulheres se sobressaem em todas as temáticas. O predomínio do acesso feminino se dá nas seções “Seus direitos” – que apresenta dicas de direitos que fazem o dinheiro render mais, com 64,5% –; seguido de “Ganhar dinheiro” com 64,4%. Na seção “Ganhar dinheiro”, as mulheres acessam o conteúdo voltado à busca de renda, volta ao mercado de trabalho ou dicas para conciliar o tempo entre o cuidado com os filhos e formas de complementar o orçamento. Nas seções “Economizar” e “Negociar dívidas” as mulheres lideram os acessos com 61,8% e 60,5%, respectivamente.

Na parte de produtos financeiros, as mulheres corresponderam a 54% dos usuários. O portal Konkero possui comparativos e explicações de dezenas de produtos como cartões, empréstimos, financiamentos, consórcios, seguros, entre outros. A seção de empréstimo financeiro atraiu 58% das mulheres; cartões e financiamento aparecem com 54% e 51%, respectivamente. Em seguros a proporção das mulheres é igual a do público masculino. Já os homens são maioria apenas na seção de consórcios com 58%. Um outro dado interessante é que, na seção de financiamentos, as mulheres representam 54%. Nas subseções, o financiamento de carro (66%) é liderado por homens, enquanto as mulheres lideram o acesso à seção de financiamento de educação com 65% e de casa própria com 61%.

A predominância feminina é ainda maior entre o público mais novo. Ou seja, as faixas etárias de 18 a 24 anos e 25 a 34 anos as mulheres representam 61% e 58% do portal; acima de 65 anos, elas são 51%. O dado mostra que, no futuro, a predominância das mulheres nas decisões financeiras deve ser cada vez maior.

saiba antes via instagram @amaisinfluente