4.0 // ENTRETENIMENTORio de Janeiro 

Agora é na Sapucaí! Começa hoje o Grupo Especial do Rio de Janeiro

Agora é pra valer! As portas do sambódromo da Sapucaí se abrirão neste domingo (3) para o primeiro dia do desfile oficial das Escolas de Samba do Rio de Janeiro. Em meio à crise financeira e o tenso relacionamento com a Prefeitura de Marcelo Crivella, que reduziu a verba de R$ 1 milhão para R$ 500 mil, o público poderá acompanhar uma das festas mais tradicionais do Brasil.

A primeira a entrar na passarela do samba será a Império Serrano, que é uma das mais conhecidas agremiações do Carnaval carioca. Com nove títulos, a escola vai tentar a permanência no grupo Especial com a adaptação para o samba-enredo: “O que é o que é”, um dos maiores sucessos do cantor Gonzaguinha.

Na sequência vem a Unidos da Viradouro, que conquistou a Série A em 2018 e retornou ao Grupo Especial depois de três anos de afastamento. Com o retorno de Paulo Barros, que volta a comandar o barracão da escola depois de 11 anos, ele criou o enredo “Viraviradouro”, que traz uma mensagem dos bons sentimentos perdidos na infância por meio dos contos de fadas.

Penúltima colocada em 2018, a Acadêmicos do Grande Rio, escapou por pouco do rebaixamento. Neste carnaval, a agremiação espera dar a volta por cima com um enredo: “Quem nunca…? Que atire a primeira pedra”, dos carnavalescos Renato Lage e Márcia Lage traz uma mensagem de que a educação é fundamental para que as pequenas transgressões do cotidiano sejam coisa do passado.

Já a Acadêmicos do Salgueiro nos dias que antecederam o carnaval, houve alguns meses de disputa judicial pela presidência entre a ex-presidente Regina Celi Fernandes e o atual, André Vaz. A alternância de liminares e recursos travou os preparativos do Salgueiro. O carnavalesco Alex de Souza comandou os trabalhos e conseguiu desenvolver o enredo “Xangô”, há muitos anos ansiado pelos torcedores da escola.

A campeã de 2019, Beija Flor, entra na avenida sem o favoritismo absoluto. Após a vitória, a escola perdeu o seu diretor de Carnaval e Harmonia Laíla, que foi para a Unidos da Tijuca.  Disposta a pisar na Sapucaí para mostrar seu potencial, a Beija-Flor aposta no enredo “Quem não viu, vai ver as fábulas de um Beija-Flor”, desenvolvido pela Comissão de Carnaval e com a participação decisiva do coreógrafo Marcelo Misailidis.

A Imperatriz Leopoldinense resolveu renovar. Vai apostar em um visual clean e a temática cotidiana com toques de irreverência. Com o enredo “Me dá um dinheiro aí”, desenvolvido por Mário Monteiro e Kaká Monteiro, a Imperatriz pretende voltar a desfilar entre as campeãs.

A última a desfilar, nesse primeiro, será a Unidos da Tijuca que depois do acidente em seu desfile, no ano de 2017, a agremiação ficou no meio da tabela ano passado. De forma bem discreta, a escola ficou em sétimo lugar. Esse ano a Tijuca pretende ficar entre as primeiras. Com a chegada do diretor Laíla, que, de cara, conseguiu definir como diretriz a escolha de um bom samba-enredo. Missão cumprida: o samba da Tijuca é tido como um dos melhores do ano.

saiba antes via instagram @amaisinfluente