// capa mais mais mais// online 

Fábio Beltrão, da TV ao cinema

Depois de uma participação nos primeiros capítulos de “Verão 90”, Fabio Beltrão está no elenco de “Topíssima”, da Record, na pele de Mão de vaca, um nerd que entende tudo de tecnologia.

O ator ganhou projeção em 2010 ao fazer parte do elenco de “Malhação”. Depois, participou da série “José do Egito”, na Record, até voltar a “Malhação” em 2013.  Em seu currículo também consta o trabalho na novela “Os dez mandamentos”, na Record.

Em breve, Fábio Beltrão poderá ser visto no cinema no filme “Jeferson De “M8-Quando a morte socorre a vida”, onde interpreta Gustavo, estudante do primeiro ano de Medicina e antagonista da história.

No teatro, o ator trabalhou nas peças “Romeu na Roda”, com direção de Claudio Torres Gonzaga, “A-traídos”, de Pedreo Jones, e “Garotos”, de Leandro Goulart e Afra Gomes.O que te motivou a entrar na carreira artística? Desde pequeno sempre fui muito comunicativo e adorava imitar pessoas e interpretar. Já organizei peça de teatro no prédio com 8 anos de idade e distribuía “convites” feitos à mão de porta em porta pra chamar os vizinhos do condomínio para minha apresentação. (rios) Mas foi um dia no colégio, depois de um trabalho proposto pelo professor de uma peça, que tive a certeza pois escrevi a peça toda sozinho, criei os personagens, diálogos para todos integrantes e, curiosamente, o meu personagem era o único que não saía de cena. (risos). Depois da apresentação, meu professor que era ator também me chamou de canto e conversou comigo sobre a profissão e foi aí que me decidi.

Como foi o início? Teve apoio da família? Sempre tive o apoio da minha família, por mais maluco que parecesse para um morador se Bragança Paulista, interior de SP dizer que queria ser ator. Eles sempre me apoiaram em tudo e isso com certeza fez toda diferença.

O que você mais acha desafiador? Acho que o desafio começou quando larguei tudo e todos e vim pro Rio de Janeiro em busca desse sonho. O mercado é muito concorrido e tem muita gente boa na batalha. O grande desafio é, sem dúvidas, a primeira oportunidade para poder mostrar o seu trabalho e ganhar a confiança dos profissionais do meio.O que mais te inspira na profissão? Interpretar é realmente algo mágico. Viver a vida de uma outra pessoa com outra personalidade é uma experiência muito enriquecedora. Todos os personagens me ensinam muito e em alguns casos mudam minha maneira de pensar e encarar algumas situações na vida. Se colocar no lugar do outro já é algo que nos ensina muita coisa, agora viver o outro o aprendizado pode ser muito maior.

Onde você busca inspirações para dar vida aos personagens? Acho que isso depende muito do papel. Se for um personagem muito distante do ator, sem dúvidas filmes, e experiências reais contribuem muito para a criação desse personagem. Mas se for um personagem mais próximo da realidade do ator que o interpreta, sem dúvidas muitas coisas o ator empresta de acordo com suas próprias experiências de vida para dar moldar e construir o personagem.

Fale sobre seu novo personagem, você se identifica com ele? O Leonardo, mais conhecido como Mão de Vaca, é uma cara super ligado em tecnologia, consegue hackear qualquer coisa e usa suas habilidades para investigar por conta própria o tráfico da droga sintética veludo azul. Eu me identifico em algumas coisas e outras não, começando pelo apelido “Mão de vaca” eu mesmo sempre fui “Mão aberta” (risos). O lado engraçado do personagem eu me identifico porque me considero um caro divertido e, pela primeira vez, estou tendo a oportunidade de cair um pouco na comédia em algumas cenas. É muito divertido. O lado romântico do Mão de Vaca tem tudo a ver comigo, sempre fui romântico e adoro viver uma história de amor. O conflito com o pai é o grande desafio desse personagem, o Pedro (Felipe Cardoso) é um personagem muito intenso e um grande mau caráter, sem dúvidas o grande violão da novela e os conflitos de pai e filho são carregados de muito drama, já que essa “relação” é fruto de abandono e rejeição.

Ate hoje qual foi o papel Que mais gostou de viver? Estou adorando viver o Mão de Vaca, meu atual personagem em Topíssima, na Record. Mas o Gustavo, meu primeiro papel no cinema e antagonista do filme “M8-Quando a morte socorre a vida”, de Jeferson De, foi o que mais gostei de viver até hoje. Aliás, o filme estreia esse ano. E o cinema me encantou. O processo de construção do personagem teve muita profundidade e tempo para trabalhar. O personagem tinha bastante conflito e ocupa um lugar muito importante nos dias de hoje em relação ao preconceito contra os negros que deve ser mostrado e repensado já que certamente muitas pessoas vão se identificar com ele, infelizmente.

Quem é sua maior referência? Tenho muitas referências e pessoas que admiro. Mas, nesse momento, gostaria de ressaltar o trabalho incrível do Felipe Cardoso que estou tendo o prazer de contracenar em Topíssima, e para minha alegria, como filho dele. Admiro muito o trabalho dele, acho o Felipe um ator extremamente versátil, intenso e com excelentes escolhas para dar vida as personagens que interpreta. Sem dúvidas, ele é uma referência pra mim e uma pessoa que confio de olhos fechados para receber críticas e conselhos para melhorar cada vez mais.

O que a arte significa pra você? Arte pra mim é qualquer tipo de manifestação onde o sentimento de realização se faz presente. Todas as pessoas nascem com a arte dentro de si e todos nós temos a oportunidade de sermos grandes artistas em nossas próprias vidas. No meu caso, também uso esses sentimentos pra dar vida a personagens e tocar a vida de outras pessoas através do entretenimento.

Como é viver de arte no Brasil? É possível viver de arte no Brasil sim. Como em todas as profissões, o sucesso depende da sua disposição, dedicação, determinação e conhecimento para alcançar os objetivos. É preciso estar preparado para encarar os desafios, saber ouvir muitos nãos e abrir mão de muitas coisas pelo caminho.

 Qual dica  daria pra alguém começando na carreira artística? Acredito que minha resposta anterior defina essa pergunta.De fato o meio artístico é muito concorrido e desgastante principalmente no início, mas se a pessoa está determinada e com muito foco, minha dica é : vá em frente.

Já pensa em projetos futuros dentro e fora do mundo artístico? Tenho fascínio por direção e é algo que pretendo colocar isso em prática em breve. Sou formado em rádio televisão e também trabalhei um bom tempo em produtora como editor, operador de câmera e também dirigi alguns vídeos institucionais.

PING PONG

Nome completo: Fabio Gebrael Beltrão

Idade: 30

Signo: Gêmeos

Um filme: O Segredo dos Seus Olhos

Um música: Vento no litoral

Viagem dos sonhos: Tailândia

Maior conquista: Trabalhar no Cinema

Se pudesse escolher seu próximo personagem, qual seria: Vilão

Um defeito: distraído

Uma qualidade: determinado

Defina-se em uma palavra: Verdadeiro

saiba antes via instagram @amaisinfluente