4.5 // TECNOLOGIA 

Brasileiros não conseguem ficar longe do celular

Segundo pesquisa, 9 em cada 10 pessoas não conseguem ficar mais de 1 hora longe do aparelho

Segundo pesquisa realizada pela Hibou, empresa de pesquisa e monitoramento de mercado e consumo, foi constatado comportamentos inusitados em relação aos seus celulares. O estudo foi feito com mais de 2 mil brasileiros entre 16 e 45 anos. A pesquisa faz um comparativo entre abril de 2018 e julho de 2019.

Houve um aumento de 67% dos brasileiros que se cobram de silenciar o celular à noite, mas nunca o fazem. Em abril de 2018 eram 21%, em julho deste ano 35%.

Segundo os dados, 91% dos brasileiros não conseguem ficar longe do celular por mais de 1 hora. Também 91% das pessoas disseram que gravam áudios por preguiça de digitar, mesmo sem intimidade com a pessoa com quem estão conversando. Houve um crescimento expressivo de 40%, pois em 2018 eram 65% e em 2019, 91%.

Confiram outros dados obtidos através da pesquisa:

Dos entrevistados, 64% afirmaram que já colocaram o fone de ouvido e plugou no celular, com ou sem música, só para não terem que conversar com ninguém.

Caso acordem no meio da noite, 66% dos brasileiros costumam sempre dar uma olhada no celular. Um crescimento de 10% em relação a 2018.

Sobre aplicativos, 69% dos brasileiros este ano afirmaram que ao menos metade de seus apps ficam logados o tempo todo em seus celulares.

Já a porcentagem dos brasileiros pedem mais comida delivery que antes por conta da facilidade do app em seu celular, chegam a 73%.

70% dos brasileiros já jogaram o mesmo joguinho vários dias ou semanas seguidas, depois nunca mais abriram. Um crescimento de 19% em relação a 2018.

Metade dos entrevistados, 51% afirmaram que já baixaram um aplicativo e nunca usaram.

Hoje, 42% dos brasileiros pagam a maioria de suas contas pelo aplicativo do banco. Em 2018 eram 34%.

Já no Whatsapp, 70% das pessoas disseram que colocaram a maioria dos grupos no silencioso, isso significa um crescimento de 23%, comparado a 2018.

O acesso pelas redes sociais através do celular também cresceu. Hoje chega a 85%. Em 2018 eram 74%, um crescimento de 15%.

Perder a noção do tempo é muito comum com o uso do celular. Dos entrevistados, 60% afirmaram que perdem a noção do tempo vendo posts e vídeos no celular.

44% das pessoas afirmaram que aumentaram o número de marcas de cotovelo logo acima do joelho.

Ao avistar algo interessante em alguma loja, 54% das pessoas consultam preços de produtos pelo celular.

A lanterna do aparelho é utilizada com frequência por 68% das pessoas.

Os históricos de conversas são excluídos por 64% dos brasileiros.

45% das pessoas já pediram carregador emprestado para quem não conheciam. Um crescimento de 22% em relação a 2018.

No meio de uma discussão, 88% dos brasileiros procuram por um assunto no celular para poder criar argumentos.

88% dos brasileiros afirmaram que já caíram em uma fake news pelo celular.

Tutoriais por escrito ou vídeo também fazem sucesso. Dos entrevistados, 59% afirmaram que assistem.

Os joguinhos de celular não podem ficar de fora. Mas deve ser usados com cautela! Segundo a pesquisa, 43% dos brasileiros disseram que já jogaram joguinho pelo celular no meio de uma reunião de trabalho ou aula.

Agendar consulta médica pelo celular já é uma realidade, mas não utilizada por muitos. Apenas 20% dos brasileiros já agendaram algum tipo de consulta médica sem falar com ninguém, através do celular. Um crescimento de 54%. Em 2018 eram 13%.

Controlar a saúde também pode ser uma utilidade do celular. Mas apenas 33% utilizam o aparelho para esse fim. Em 2018 eram 26%, um crescimento de 27%.

Já o Twitter só é utilizado por 32% dos brasileiros quando tem uma polêmica rolando.

saiba antes via instagram @amaisinfluente