3.2 // CORPO3.4 // SAÚDE 

Acne: entenda as causas e previna

O problema é muito mais comum em adolescentes, apesar de aparecer também em adultos. A acne pode trazer baixa autoestima e, por conta disso, comprometer a qualidade de vida da pessoa. Por isso, a dermatologista Simone Neri explica o motivo do aparecimento dessas espinhas: Hormônios.   

Ela explica que esse é o principal responsável para o surgimento da acne, além de várias outras alterações na pele, são os hormônios sexuais que começam a ser produzidos na puberdade. As lesões aparecem com mais frequência na face, mas também podem ocorrer nas costas, ombros e peito. 

Em adultos, o surgimento da acne ainda pode estar relacionado a situações de estresse ou ao período menstrual, bem como, o uso de alguns medicamentos como corticoides, vitaminas do complexo B, contato com óleos, graxas ou produtos gordurosos. 

“A acne não é contagiosa e não está relacionada à sujeira da pele ou do sangue. Trata-se de um processo inflamatório das glândulas sebáceas e dos folículos pilos sebáceos. O tratamento dessa inflamação vai variar de acordo com a gravidade, a localização e em função de características individuais. Há opções tanto de terapia local, quanto por via oral, ou a combinação de ambas. A limpeza de pele, quando bem indicada pelo dermatologista, e bem executada por esteticista treinado, pode ser um ótimo complemento do tratamento das espinhas. Outros procedimentos como peelings químicos, terapias de luz, laser, também podem ser coadjuvantes no tratamento”, explica a Dra. Simone Neri. 

O ideal é a acne ser tratada o mais cedo possível porque é uma doença que pode ser controlada e até mesmo curada. Para quem tem acne, o importante é em nenhuma hipótese, manipular (“cutucar, espremer”) as lesões porque isso pode levar à infecção, inflamação e cicatrizes graves. 

Prevenção 

Se você ainda não tem acne e deseja passar longe dessa inflamação, a prevenção começa com higiene adequada da pele. O uso de um sabonete ou produto de limpeza indicado especialmente para pele oleosa é um bom começo, mas lembre-se, a limpeza excessiva também é prejudicial à pele como um todo (causando irritação) e podendo piorar as lesões.  

Também deve-se evitar cosméticos que aumentem a oleosidade. A acne tem forte componente genético, e não se relaciona diretamente com a alimentação. “Apesar de vários tabus, não é necessária nenhuma dieta ou restrição alimentar para o tratamento ou prevenção da acne. As pessoas com a inflamação podem se expor ao sol de maneira cuidadosa, racional e orientada, já que as lesões até podem melhorar após no início da exposição solar, porém, essa melhora é apenas temporária e a exposição exagerada só vai piorar do quadro. 

saiba antes via instagram @amaisinfluente