3.4 // SAÚDE 

Emagrecer comendo de tudo é possível

Não é necessário parar de comer tudo o que você gosta para emagrecer. Ao contrário do que muitos pensam e fazem, a restrição alimentar não é o melhor caminho para alcançar o peso desejado.  

Para a nutricionista, Ivana Cobe, regimes alimentares restritivos funcionam no começo, mas acabam promovendo um efeito rebote se o paciente se esbaldar depois.  
Segundo a profissional, a melhor forma de perder peso é saber fazer escolhas saudáveis sempre, para que se torne um estilo de vida e não apenas uma dieta temporária que está na moda. “Nós nunca devemos proibir – pois, afinal, o que é proibido gera curiosidade e vontade – mas sim orientar e ensinar o paciente a ressignificar sua relação com a comida, incluindo alimentos saudáveis, gerando prazer em comer para se sentir bem”. Dessa forma, Ivana explica que, quando se equilibra os desejos do corpo e da mente, é possível, sim, emagrecer comendo de tudo, desde que haja consciência do que, quando e quanto comer, e mudando alguns hábitos do dia a dia. Confira abaixo as dicas da nutricionista: 
 
1 – Conte com um profissional! 
 
A existência de um profissional especializado para orientar e acompanhar o processo faz toda a diferença. O nutricoach, por exemplo, auxiliará o paciente não só na reedução alimentar, como também na comportamental. “A parte psicológica é a mais importante! A criação de novos hábitos expande para todas as atitudes da vida e não apenas na escolha do cardápio. Contar com um profissional que te orienta e está do seu lado a todo momento é essencial para colocar em prática todos os aprendizados. Inclusive, quando você ‘meter o pé na jaca’ e precisar de alguém que te console, te escute e te diga que vai ficar tudo bem, o nutricoach estará lá para isso também.” 
 
2 – Coma o que e quando quiser 
 

“Sim, você pode! Mas com consciência. Por exemplo, se quiser comer um chocolate, coma um pedacinho e não a barra inteira. Consumir pequenas porções daquilo que te deixa feliz vai saciar a sua vontade. Mas se acaso exagerar, não se culpe, nem se desespere! No dia seguinte, continue com os hábitos alimentares saudáveis que aprendeu e tudo ficará bem”. A nutricionista também aconselha que o paciente reflita antes de consumir uma guloseima: “Eu realmente estou com vontade de comer isso ou é só um impulso? Substituir a bolacha doce por uma fruta pode saciar o meu desejo?”. 
 
3 – Faça pequenas refeições ao longo do dia 
 
“Comer com mais frequência durante o dia, em pequenas quantidades de bons alimentos, faz com que o paciente se sinta sempre saciado, evitando ataques de gula que geram a vontade desesperada de consumir uma guloseima para matar a fome.” Para tornar isso realidade, Ivana aconselha sempre o paciente a planejar as refeições da semana. Dessa forma, é possível ter uma visão ampla dos nutrientes que consumirá para que nenhum dos grupos de alimentos saudáveis falte ou se repita. “Assim a pessoa estará munida de uma alimentação equilibrada durante toda a semana e uma guloseima ou outra não interferirá na balança.” 
 
4 – Tenha uma boa noite de sono 
 

Dormir bem auxilia o corpo a regular os níveis dos hormônios leptina, que dá saciedade, e grelina, que induz a fome. “Este equilíbrio hormonal é essencial para controlar aquela vontade de comer besteiras ao longo do dia.” 
 
5 – Pratique atividades físicas 
 
Não é segredo para ninguém que a prática de exercícios físicos é essencial para a saúde do corpo. Além de liberar hormônios que ajudam a controlar a compulsão alimentar, a atividade física ajudará a gastar as calorias extras consumidas. “Estudos apontam também que uma alimentação equilibrada aliada a atividade física diária emagrece três vezes mais. Portanto, se dedique em encontrar a modalidade que você se identifica e te faça bem, e pratique todos os dias”, finaliza. 

saiba antes via instagram @amaisinfluente