3.3 // CABELO 

Dificuldades com o frizz? Saiba como controlá-lo!

Horas no salão, corte da moda, cor perfeita, escova lisinha, penteado impecável e de repente: adeus produção! Pois eis que surge ele, o vilão que ataca a cabeça de muitas mulheres sem piedade e nem distinção de tipo de cabelo ou idade: o temido e famigerado frizz!

O frizz nada mais é que aqueles indesejáveis cabelinhos arrepiados, em geral fios quebrados ou que estão nascendo, e as causas podem variar. De alterações climáticas (principalmente a umidade) à eletricidade estática; de fatores externos – que danificam os cabelos, a internos – que prejudicam sua formação e desenvolvimento. Os principais fatores externos que podem contribuir para o aparecimento do frizz são: sol, vento, umidade, lavagens excessivas, secagens, o ato de pentear, tinturas e alisamentos. Os fatores internos mais relevantes para o aparecimento do frizz são: dietas excessivamente restritivas, má alimentação e alterações emocionais.

Seja devido a fatores externos, internos ou ambos, cabelo com frizz é um cabelo sem brilho, opaco, desidratado e quebradiço, resultado da destruição da cutícula do cabelo (camada externa protetora, que mantém os cabelos hidratados e nutridos, protegendo-os dos efeitos nocivos dos agentes externos). 

Apesar de serem visualmente mais evidentes em cabelos naturalmente lisos ou alisados, o tipo de cabelo que é mais suscetível ao frizz é o cacheado. Eles têm uma tendência maior a ficarem arrepiados, pois em geral são mais ressecados e penteados com maior frequência, principalmente após o banho, o que ocasiona uma maior quebra e aumento da eletricidade estática.

Uma grande ilusão é achar que arrancar os fios com frizz resolve o problema. Pode até resolver momentaneamente, mas efetivamente pode até piorá-lo, pois os fios arrancados não são perdidos, eles continuam a crescer causando novamente a aparência arrepiada.
Fios curtos, novos, podem apresentar frizz, mas em geral basta crescerem que param de arrepiar.

Há dicas específicas de como lavar, seca, pentear e finalizar os cabelos para se evitar/acabar com o frizz, além de produtos que podem ser usados para ajudar a amenizar o problema. Consulte seu dermatologista, ele é o profissional mais indicado e capacitado para ajudar no combate ao frizz.

Dr. Erick Omar, dermatologista especializado em Tricologia (o estudo das doenças do couro cabeludo), participa do grupo de pesquisas para o tratamento da calvície com células-tronco. Formado pela USP, adquiriu vasta experiência no assunto como médico colaborador no Ambulatório de Doenças dos Cabelos e Couro Cabeludo do Hospital Padre Bento, de Guarulhos, sob supervisão do Dr. José Marcos Pereira.

saiba antes via instagram @amaisinfluente