Ana Cristina Rosado 

Ana Cristina Rosado: Conheça o Rio a pé

Fazer turismo no Rio é uma delícia e muitas vezes custa caro. A boa notícia é que o Portal Consultoria em Turismo Bayard Boiteux relança o projeto Conheça o Rio a pé na versão virtual. Confira abaixo a programação incrível até o final do ano!!!

O necessário ‘novo normal’ e a antiga forma de fazer moda

Monica Rosenwzeig, designer de joias, que vive atualmente em Cascais, Portugal, e mantém um atelier em Ipanema, no Rio, tem repensando cada pequeno detalhe do seu processo de produção. “Tudo mudou na minha forma de criar e de pensar em como o meu público vai consumir moda. Comecei a questionar, por exemplo, qual é a necessidade de se usar um acessório, um adereço; ou em como muitas vezes compramos algo que será usado apenas em uma ocasião e depois será colocado de lado. Portanto, a partir de agora, teremos que ressignificar nosso trabalho por diversas razões. As pessoas vão passar a direcionar suas compras para o que realmente é necessário, para o que de fato vão usar, para o que lhes passe algum tipo de mensagem, uma simbologia. Eu, por exemplo, passei o consumir apenas o que me traz sensações de aconchego ou proteção. E acho que isso será uma tendência na moda. As pessoas não vão mais seguir apenas os conceitos que grandes costureiros lançam a cada temporada e que são replicados por milhões de marcas ao redor do mundo. Elas vão procurar roupas, acessórios, dentre outros, que lhes transmitam alguma mensagem, alguma coisa positiva”, comenta. 

Monica lembra, ainda, que a moda não é apenas feita para vestir pessoas para ocasiões e locais especiais, ela existe para dar soluções à sociedade. “Neste momento, em que trabalhamos mais em casa, a criação precisa estar mais voltada para as roupas confortáveis, fáceis de lavar e passar, que visam o conforto e a praticidade do consumidor. Então, de que adiantam vitrines cheias de peças fashionistas se não podem ser usadas? É preciso que o mercado entenda que a pandemia não é apenas uma fase, é um marco de uma realidade, que ninguém ainda tem ideia de como será no futuro. Não sabemos como será o chamado novo normal”.

A partir de agora, as novas coleções de Monica trarão um misto de simbologias ligadas à proteção; a possibilidade de customização com poucas peças que se misturem e se transformem em outras; e o aconchego, com desenhos e formas que remetam àquela joia de família com memórias embutidas. “Com a pandemia, passei a dar mais valor às coisas que passavam despercebidas no meu dia a dia, que me eram comuns, como um abraço ou simples aperto de mão. Parece piegas falar isso, mas a verdade é que muitos passaram a enxergar a importância de pequenos gestos que eram vistos como rotina”.

Maior festival japonês de rua do mundo, queacontece no Brasil, este ano será digital

O Tanabata Matsuri – Festival das Estrelas que acontece no Brasil há mais de quatro décadas, este ano será digital. A programação acontecerá domingo (2 de agosto), com apresentações online, das 14 às 18h. E os tradicionais tanzakus para pedidos às estrelas também serão disponibilizados de maneira inusitada e virtual, para receber desejos de toda parte do País. Além disso, em São Paulo haverá drive-thru e pontos de atendimento presenciais no bairro da Liberdade, seguindo todas as medidas protetivas pelo combate à Covid-19. 

“Diferentemente das últimas edições, este ano teremos os bambus decorados em dois endereços: na sede da ACAL, que fica na Avenida Liberdade, e no local onde realizaremos a cerimônia e queima dos tanzakus ao final de agosto, na Rua Galvão Bueno. Os visitantes poderão fixar seus desejos obedecendo a distância mínima necessária para o distanciamento social, com limite de pessoas simultâneas no mesmo para evitar aglomerações, e acesso permitido somente utilizando máscara. Ou fazer os pedidos pela plataforma digital, de onde serão impressos para o dia da queima”, explica Hirofumi Ikesaki, presidente da Associação Cultural e Assistencial da Liberdade (ACAL). 

Os tanzakus são pequenos pedaços de papel em cores e simbologias diferentes: verde – Esperança; branco – Paz; vermelho – Gratidão; azul – Proteção e Saúde; rosa – Amor, e amarelo – Dinheiro e Prosperidade. Neles, as pessoas escrevem seus desejos para serem enviados às estrelas Vega e Altair, que, segundo a lenda japonesa, ficam em lados opostos na galáxia e se encontram somente nesta época do ano. 

Sobre a lenda…

Segundo a lenda japonesa, o Tanabata Matsuri celebra a história de amor de Orihime, filha de um poderoso deus do reino celestial, que certo dia, diante de seu tear, viu passar um rapaz conduzindo um boi e por ele se apaixonou. O pai consentiu o casamento dos dois jovens. Casados e totalmente dominados pela paixão, ambos se descuidaram de seus afazeres normais e o pai, indignado, ordenou que eles vivessem separados, um de cada lado da Via Láctea, mas permitiria que o casal se reencontrasse apenas uma vez ao ano, no sétimo dia do sétimo mês, se cumprissem a ordem do pai: atender aos pedidos vindos da Terra. 

Este fenômeno astronômico deu origem à lenda, acreditando-se também que as demais estrelas e corpos celestes do céu, como cometas e estrelas cadentes, formem nesta época uma ponte na Via Láctea, chamada de Ama-no-Gawa, “Rio Celestial”, possibilitando que os apaixonados possam atravessar a galáxia para se reencontrarem. Ao final do Tanabata Matsuri, os desejos em papéis são queimados com o propósito de que os pedidos cheguem aos céus para que as estrelas Altair e Vega, segundo a lenda, possam realizar os pedidos. “Temos muitos exemplos de pessoas que todo ano nos contam que realizaram seus pedidos”, acrescenta Ikesaki.   Os tanzakus podem ser adquiridos online, pelo  site tanabatamatsuri.com.br, WhatsApp, redes sociais da ACAL, e também serão disponibilizados nos locais a partir de domingo (2),  podendo ser pendurados nos bambus até a cerimônia xintoísta no final do mês, visando evitar aglomerações no domingo do evento. 

Hotéis Hard Rock no México e Caribe já estão abertos

O grupo de hotéis de luxo RCD Hotels anunciou que seus cinco hotéis da marca Hard Rock, no México e Caribe já estão com as portas abertas para o recebimento de hóspedes. Com mais de 70 dias com fechamento temporário, a empresa – com fortes raízes nacionais desde a sua criação, pioneira no conceito all inclusive – tomou a decisão após cumprir todas as medidas preventivas com o objetivo de mitigar a propagação do vírus. “A implementação de protocolos operacionais aprimorados, além dos padrões de saneamento existentes internacionalmente reconhecidos e rigorosamente aplicados em nossas propriedades, permitiu a realização desse reavivamento turístico, um passo importante para o bem-estar de nossos hóspedes e colaboradores”, afirma um comunicado da cadeia dos Hotéis RCD.

Estreia do programa ‘No Ar com Junior Mendes’ é sucesso de público

Nesta última segunda-feira estreou o programa do apresentador e produtor Junior Mendes. Os irmãos Alysson & Adysson. dupla sertaneja, ex-participantes do “The Voice Brasil” em 2017, foram entrevistados no programa falando sobre vida, carreira e curiosidades. A estreia foi um sucesso, já que alcançou mais de dois mil visualizações e milhares de likes. Todo o sucesso apresentado no “The Voice” garantiu a participação da dupla em diversos festivais por todo o Brasil e a gravação de um CD independente, com repertório pop e sertanejo. “Estou muito feliz com essa estreia, pois entrevistar uma dupla de peso como Alysson & Adysson é uma honra. Eu os conheci nos bastidores do programa e me proporcionou conhecer mais um pouquinho deles, e com isso os ajudei impulsionando a carreira artística dando visibilidade nacional e internacionalmente”, ressalta Junior Mendes. O programa ‘No Ar com Junior Mendes’ tem um formato de entretenimento interativo, onde o público pode interagir e fazer perguntas para os artistas. O apresentador sempre pede um alerta de spolier ao entrevistado, onde o público possa ter o gostinho do conteúdo do programa. O que será que ele vai conseguir com o próximo artista, hein?   

UVA promove tours virtuais por lagoas do Rio de Janeiro

O projeto Águas Lagunares Cariocas, desenvolvido pelos alunos do curso de Engenharia Ambiental da Universidade Veiga de Almeida (UVA), está promovendo tours virtuais pelos ecossistemas lagunares da cidade do Rio de Janeiro. Com realidade virtual aumentada e narração, os visitantes aprendem sobre a fauna e a flora nativas daquelas regiões e os impactos socioambientais que as lagoas vêm sofrendo, sem precisar sair de casa.

A professora e orientadora do projeto, Viviane Japiassú, explica que após definir os critérios da atividade, os universitários ganharam autonomia para realizar a pesquisa e coleta de informações para montar o projeto. Todo o trabalho foi feito através de recursos gratuitos do Google. “A facilidade na criação dos tours com as ferramentas online já disponíveis, gerou uma oportunidade de tornar os alunos atores de um trabalho voltado para conscientização da sociedade. sobre a relação entre as lagunas e o ecossistema”, destaca.

Para participar, basta clicar em: https://sites.google.com/view/aguaslagunarescariocas

saiba antes via instagram @amaisinfluente