PUBLICIDADE

deu babado

Influenciadora Priscila Santos fala sobre assédio virtual nas redes sociais: “Já fui até mesmo ameaçada e chantageada”

A influenciadora e empresária Priscila Santos abriu o jogo sobre assédio na internet e revelou já ter sido até mesmo vítima de ameaças e chantagens. Ela, que viu sua vida se tornar o centro dos holofotes após começar a postar vídeos no Instagram e virar referência para milhares de mulheres, contou que já sofreu assédio virtual inúmeras vezes.

“Infelizmente é comum, virou rotina”, admite ela, que recebe várias directs por dia. “A gente acaba sofrendo assédio de muitas maneiras, principalmente por interesse financeiro e status”. Quando uma abordagem começa a incomodar, a influenciadora chega a bloquear os usuários mais insistentes.

“Alguns simplesmente ignoro, outros nem abro para ler. Se houver uma insistência, realmente acabo bloqueando. Prefiro bloquear para ter paz. Depende do tipo de assédio e da gravidade da situação”, afirma. Ela confessa, inclusive, que já teve medo do assédio de alguns seguidores por ter notado sinais de perseguição virtual.

“Mesmo bloqueando, eles vão criando outros perfis e insistem em falar com você de qualquer jeito. Como costumo ajudar as pessoas nos meus vídeos através de conselhos e dicas, ou até mesmo na parte social, algumas delas ainda acham que simplesmente devo dar um jeito na vida de todo mundo e trazer a solução para os problemas como um todo, seja financeiro ou emocional. É bem complicado”, explica.

As abordagens são das mais variadas. Quem acompanha suas redes sociais a considera uma boa ouvinte e conselheira – o que já lhe rendeu propostas inusitadas no privado.

“Recebi convites para andar de lancha, para viajar, para saber quanto custa um jantar comigo. Entendi que vários deles queriam cobrar para estar comigo, para ouvir meus conselhos sobre a vida e ter algo único e exclusivo. Mas esse não é o meu objetivo e eu, obviamente, não aceitaria em hipótese nenhuma”, ressalta.

O nome de Priscila também já foi vinculado de maneira negativa a alguns famosos, mas ela desmente os boatos.

“Quiseram me ligar a fofocas envolvendo outras pessoas públicas e famosas. Ocorreu de modo positivo, mas também de modo negativo. Tentaram interpretar de forma maldosa alguns dos vídeos e comentários que já fiz, como se fosse indireta para alguém conhecido. Mas nada do que posto ou falo é indireta porque tomo cuidado com o que publico”, garante Priscila.

Existem até mesmo casos de ameaça e chantagem na lista dos episódios de assédio que sofreu. Segundo a empresária, eles foram cometidos por pessoas que fizeram parte de seu passado e que, agora, querem se beneficiar de sua fama.

“Por eu ter me tornado uma pessoa pública, muita gente que conheci lá atrás quis se beneficiar e fazer parte disso, de alguma forma, o que me fez ficar com raiva. Já fui até mesmo chantageada e ameaçada, simplesmente por não dar abertura para os interesseiros. Mesmo que eles criem histórias fantasiosas e tentem manipular, isso pra mim é algo bem resolvido, graças a Deus. Aliás, tenho uma equipe jurídica justamente para cuidar desse tipo de situação”, diz.

Por conta da onda de assédios, a influencer já deixou de postar fotos de bíquini e evitou ao máximo a exposição. Hoje em dia, ela conta que lida melhor com as abordagens, mesmo que reprove totalmente tal comportamento.

“Percebi que, quando posto foto de biquíni ou expondo mais o corpo, as curtidas e visualizações são maiores e a quantidade de seguidores aumenta. Nem todo mundo busca conteúdo de verdade nas redes sociais. Já deixei de postar por conta disso; hoje, nem tanto. Mas, obviamente, por mais que eu poste de biquíni, tento não postar de forma vulgar, até porque meu intuito não é ir para esse lado”, explica.

Mesmo que o assédio continue presente na vida das mulheres, ele não pode ser normalizado. Contudo, para encarar esses casos de frente, Priscila acredita que seja importante trabalhar a autoconfiança.

“O assédio sempre vai existir, porque, mesmo não sendo normal, acabou se tornando rotineiro. Mas, na minha visão, precisamos ter em mente o que queremos e o que merecemos. E, definitivamente, não merecemos isso. Trabalhei isso em mim e, atualmente, consigo lidar com essa situação muito bem porque não dou abertura nem retorno”, completa

PUBLICIDADE