PUBLICIDADE

Miriam Freitas

Miriam Freitas: Duetto Estreia em breve “Marieta Severo volta à Itália durante a ditadura militar brasileira em novo filme”

O longa chega aos cinemas em 29 de setembro e conta ainda com Michele Morrone, Luisa Arraes, Gabriel Leone e Maeve Jinkings no elenco. Veja o trailer oficial

https://youtu.be/9YpKXPJ4-O4

Escrito por Rita Buzzar (“Olga” e “Budapeste”) e João Segall (“O Caseiro”), Duetto revela a dor de 3 mulheres após a morte de Marcelo (Rodrigo Lombardi). O filme se passa no Brasil e na Itália de 1965, e conta com elenco dos dois países. Marieta Severo, Luisa Arraes, Gabriel Leone e Maeve Jinkings dividem cenas em italiano com os atores Michelle Morrone, Elisabetta de Palo e Giancarlo Giannini. A direção é de Vicente Amorim (“2000 Nordestes”) e a produção é da empresa Nexus. A Imagem Filmes, distribuidora nacional, acaba de liberar o trailer oficial do longa, que chega aos cinemas em 29 de setembro.  

Depois da morte de seu pai (Rodrigo Lombardi) em um trágico acidente de carro, Cora (Luisa Arraes) viaja com sua avó, Lúcia (Marieta Severo,) para a região da Apúlia, na Itália. Lúcia está indo encontrar Sofia (Elisabetta de Palo), sua irmã, para falar sobre a venda de algumas terras da família. As duas não se veem há quase 40 anos porque Sofia casou com Gino (Giancarlo Giannini), ex-noivo de Lúcia. Nesta viagem ao passado familiar cheia de questões mal resolvidas, Cora trilhará seu caminho para a maturidade. 

Como Marieta Severo conta:Eu acho que tem duas vertentes dentro dessa história. Lúcia tenta reconstruir o passado enquanto Cora tenta construir o seu futuro”. Para Maeve Jinkings, que faz o papel de Isabel, mãe de Cora e esposa de Marcelo, o filme fala de uma narrativa que é um rito de passagem, são mulheres se descobrindo. No caso da Isabel, é uma mulher se descobrindo para além da maternidade. Porque sua filha está indo pro mundo”. 

Nas palavras de Rita Buzzar, “‘Duetto’ é sobre a possibilidade de seguir em frente com todas as dificuldades que nós temos na vida. A possibilidade do perdão, a questão de o amor ser egoísta e isso levar a conflitos entre as relações…. O filme tem essa simplicidade de ser sobre os dramas que todo mundo vive”. A perda de um amor é o pontapé inicial para a trajetória dessas mulheres de diferentes gerações. Cada uma lida à sua maneira, embora sejam todas mulheres à frente de seus tempos. 

Duetto teve cinco dias de filmagens na região da Apúlia, na Itália. Luisa Arraes, Gabriel Leone e Maeve Jinkings aprenderam a falar a italiano para o filme. A ficção ainda cruza com a história de Marieta Severo, que já sabia falar a língua por ter vivido na Itália durante o exílio dela e de Chico Buarque, seu ex-marido, no final dos anos 60. 

 Sinopse:  

Duetto se passa na Itália, em 1965, e conta a história de encontro entre Cora, uma adolescente brasileira, e o famoso e controverso cantor italiano Marcello Bianchini. Mas a história começa em São Paulo. Depois da trágica morte de seu pai em um acidente de carro, Cora viaja com a avó, Lúcia, para a sua cidade natal, na Apúlia. Entre o passado familiar, os dramas e histórias da cidadezinha italiana, Cora trilhará seu caminho para a maturidade e a vida adulta. 

Ficha Técnica: 

Direção – Vicente Amorim

Produção – Rita Buzzar

Produção Executiva – Rita Buzzar e João Segall

Roteiro – Rita Buzzar e João Segall

Direção de Fotografia – Gustavo Hadba

Direção de Arte – Daniel Flaksman

Figurino – Cristina Kangussu

Direção de Produção – Paulão Costa

Diretor de Som – José Louzeiro

Câmera – Lula Cerri 

Elenco: 

Marieta Severo – Lúcia

Luisa Arraes – Cora

Giancarlo Giannini – Gino

Elisabetta de Palo – Sofia

Gabriel Leone – Carlo

Maeve Jinkings – Isabel

Michele Morrone – Marcello Bianchini

Rodrigo Lombardi – Marcelo

Sobre a produtora: 

A Nexus é uma produtora que tem como foco produzir projetos diferenciados, onde os valores de produção são evidentes. Aqui não se pretende a quantidade, mas o cuidado quase artesanal com cada projeto Na Nexus, cada detalhe é cuidado, com muito zelo e atenção diferenciada.  

É a empresa produtora do filme “Vera”, de Sérgio Toledo (Urso de Prata em Berlim, Melhor Atriz em 1987), do documentário “Carandiru.doc”, dirigido por Rita Buzzar, e exibido pelo canal GNT (Canal de TV pago no Brasil) em horário nobre, sendo uma das maiores audiências do horário, de “Olga”, de Jayme Monjardim, baseado no livro de Fernando Morais, candidato brasileiro ao Oscar em 2004, e um grande sucesso de bilheteria, com mais de três milhões de espectadores nos cinemas e com mais de cem mil DVDs vendidos, e também da bem-sucedida coprodução internacional “Budapeste”, baseado no romance homônimo de Chico Buarque, e dirigida por Walter Carvalho. Também produziu o filme (mais de 800 mil espectadores) e microssérie “O Tempo e o Vento”, de Jayme Monjardim, que marcou média de 29 pontos de audiência entre os dias 2, 3 e 4 de janeiro de 2014. Em 2016, produziu o suspense “O Caseiro” distribuído pela Europa Filmes e MGM, lançado em junho de 2016 no circuito de cinemas do Brasil, e em 2 de dezembro nos EUA. Está produzindo o longa “Madame Durocher” e acaba de finalizar “Duetto”, filmado no Brasil e na Itália.

Sobre a produtora executiva e roteirista Rita Buzzar: 

Rita Buzzar tem um portfólio único: estudou roteiro em Cuba com Gabriel García Márquez. Estudou também roteiro no Sundance Institute, em Utah. Escreveu grandes sucessos como “Olga” e “Budapeste”. Como produtora, é responsável pelos seguintes projetos: entre 1985 e 2002, trabalhou na televisão, sendo autora dos sucessos “Rosa dos Rumos” e “A História de Ana Raio e Zé Trovão”. Também dirigiu e produziu documentários para a TV Cultura, e escreveu especiais para a TV Globo; “Carandiru.doc” (2003), documentário; “Olga” (2004), que atingiu mais três milhões de espectadores e ganhou o festival de Havana  em 2004; “Budapeste” (2008), com quatro nomeações  para o grande prêmio de cinema brasileiro; “O Tempo e o Vento” (2013), um épico dirigido por Jayme Monjardim que virou minissérie na  rede Globo; “O Caseiro” (2016), filme de suspense  distribuído pela MGM; “Duetto” (2019), drama, filmado no Brasil e na Itália; “Madame Durocher” (em desenvolvimento) parceria com a Elo Company ne Sony Pictures. 

 Sobre o roteirista João Segall: 

João Segall é formado em cinema pela FAAP, produtor e roteirista brasileiro, e sócio-administrador da Produtora Urano Films, que, entre 2012 e 2018, produziu três longas-metragens e cinco curtas-metragens com circulação em festivais internacionais. Em 2016 lançou seu primeiro filme como Roteirista, em parceria com a Nexus Cinema e Vídeo. “O Caseiro” – filme de terror – dirigido por Julio Santi, lançado em salas de exibição no Brasil e nos EUA. Em seguida realizou, em 2016-2017, a Produção Executiva do longa-metragem “Boni Bonita”, escrito e dirigido por Daniel Barosa, protagonizado por Caco Ciocler e Ailín Salas. Estreou no Festival Internacional de Mar Del Plata, em novembro de 2018, e tem sua estreia nos cinemas do Brasil e da Argentina prevista para 2019. Como roteirista, ainda escreveu “Duetto”, que foi filmado este ano no Brasil e na Itália, com direção de Vicente Amorim.

Sobre o diretor Vicente Amorim: 

Nascido em Viena, Áustria, em 1966, estudou Economia na UFRJ e Cinema na UFF. Começou a carreira como assistente de direção de nomes como Paul Mazursky e Hector Babenco. Seu primeiro longa-metragem, lançado em 2001, foi o documentário “2000 Nordestes”, codirigido com David França Mendes – melhor documentário no Festival de Cinema Brasileiro de Miami e primeiro filme brasileiro a receber o selo da Unesco por seu conteúdo. Em 2008, realizou o longa de ficção “Um homem bom” com Viggo Mortensen, filme considerado pela revista The Hollywood Repórter como um dos 10 melhores filmes do ano. Dirigiu também as séries para a TV “A justiceira” (TV Globo), “Copa Hotel” (GNT), “As canalhas” (GNT) e “Espinosa” (GNT), também dirigiu “Um homem bom” (Good, 2008), com Viggo Mortensen, “Irmã Dulce” (2014), “Motorrad” (2018), “Corações Sujos” (2012), “O caminho das Nuvens” (2003), “A Princesa da Yakuza” (2021) e “A Divisão” (2020). 

 Sobre a Imagem Filmes: 

Imagem Filmes é uma empresa nacional que atua no mercado de entretenimento do país como distribuidora de filmes independentes. Comprometida com a qualidade e variedade de produções, a empresa trabalha nos segmentos de cinema e televisão, e é responsável pelo lançamento de grandes produções nacionais, onde destacam-se: “Veneza”, “Ela Disse, Ele Disse”, “Carcereiros: O Filme” e “É Fada!”. Além das produções internacionais, como o premiado “VICE” e sucessos como “Pinóquio”, “Legado Explosivo”, “Rambo: Até o Fim”, “Amizade Maldita” e “Maria e João: O Conto das Bruxas”. 

Por: Míriam Freitas 

Colunista Social