PUBLICIDADE

1.0 - FAMOSOS

Nas ondas da telinha: conheça Maria Carol, a Diana de Verão 90

Por Isabel Franson

A carioca Maria Carol Rebello não poderia ter encontrado uma praia melhor para surfar. Encarnando nas telinhas a personagem Diana, em Verão 90 – a divertida novela das 19h na Rede Globo -, pôde revelar todo seu lado natural e descontraído. E, melhor ainda, relembrar uma época que curtiu tanto: os anos 90.

“Foi um período muito marcante pra mim, no qual vivi minha infância e adolescência. Gostava de pegar minha bike, ir à praia com os amigos… As roupas, os costumes, a vida fit… Tudo era muito intenso nos anos 90”.

Maria Carol Rebello vive a surfista Diana em “Verão 90”.  (Foto: Sebas L Sánchez)

Carol conta que se emocionou e surpreendeu ao entrar pela primeira vez no set de filmagem. “Eu e todos os outros atores ficamos fascinados! Ficamos prestando atenção nos detalhes de cenografia. Eles reproduziram perfeitamente as TVs, os controles remotos, os telefones… Incrível”.

Quanto à personagem, Carol explica encontra diversas semelhanças com Diana. “Ela tem essa relação forte com a noite do Rio. Frequenta alguns lugares onde as pessoas acabam se encontrado: Baixo Gávea, Baixo Leblon… Eu vivi boa parte de minha adolescência e vida adulta em lugares assim”.

Outra característica não tão citada, mas que Carol não deixa passar são as preferências alimentícias de Diana. “Ela tem uma alimentação macrobiótica, tendência da ‘geração saúde’ que estava pegando forte nos anos 90. Surfa, cuida do corpo… É amiga de todo mundo… Me identifiquei bastante com isso”.

Para a atriz, a melhor parte de interpretar é poder deixar sua marca na personagem. “Diferentemente do cinema, uma obra fechada com começo, meio e fim, na TV a gente pode brincar. Podemos construir a personagem ao longo da trama. O roteiro, só recebemos uma semana antes de gravar, é bem louco. E vai sendo escrito aos poucos. Sempre levando em conta a reação do público, claro, para as nuances dela. Então, além das diretrizes que recebo, também coloco muito de mim ali. E o pessoal está gostando, tenho recebido muito carinho nas ruas”.

(Foto: Sebas L Sánches)

Nos palcos

Em paralelo com as gravações nos Estúdios Globo, Maria Carol não para. Nos teatros cariocas, a musa encena a peça “Tem Uma Mulher na Nossa Cama”. Dividindo o palco com Marcelo Duque – que também assina o espetáculo -, Carol dá vida a Ludimila. Na trama, o casal, que chega em casa bêbado, encontra uma desconhecida no quarto deles, situação cômica que dá início ao enredo.

“Sou apaixonada pelo teatro. Faço por amor mesmo. Claro que viver de teatro no Brasil é difícil, então tento sempre conciliar com atividades na TV. Mas é um amor inexplicável. E o Marcelo é um querido, ele disse que escreveu essa peça pra mim, no dia em que nos conhecemos. Deu certo demais”.

A atriz, que tem Verão 90 como a nona novela de sua carreira, explica que a comédia a atrai por motivos emocionais. “Eu tenho essa facilidade com o cômico, adoro. Acho que o mundo precisa muito dessa leveza, sabe? A gente já tem notícia ruim demais na vida real. Então, para mim, a beleza da arte é oferecer essa energia boa. E acho que entrego bem isso”.

Maria Carol é talentosa na TV e no teatro   (Foto: Gabriel Farinon)

Carreira multifacetada

Mesmo atuando desde pequena, Carol ficou balançada para estudar Moda. “Me dediquei, concluí a graduação. Pensei que queria algo diferente. Mas aí, o que aconteceu: fui parar na Globo de novo! (risos). Estagiei no setor de figurinos em Chocolate Com Pimenta. Aquelas roupas lindas! Acho que me apaixonei de novo pela cena. Não deu. Acabei voltando pra lá”.

Apesar de amar TV e teatro, Carol diz que ainda tem curiosidade sobre produções para o cinema. “Deve ser uma experiência incrível na carreira de qualquer ator. Este já completamente diferente da novela, onde o personagem vem para você com os traços completos. Também tem, claro, a possibilidade de imprimir algo nosso ali. Mas dá para se aprofundar muito mais. Seria bem legal”.

Enquanto não chega o momento, Carol foca na TV e no teatro, aguardando a chance de, quem sabe, levar a peça em turnê pelo país. “A gente quer muito fazer em São Paulo, BH… Mas preciso cumprir com minhas obrigações no Rio primeiro. Tem muita gravação ainda rolando e eu tenho de estar perto, porque é a maior correria. Até o teatro onde estamos em cartaz foi pensado para que eu não me atrapalhe no trânsito entre um trabalho e outro. É preciso muita responsabilidade”.

Vida pessoal e internet

Quando não está atuando, Carol vive o papel integral de mãe da Manoa, 14 anos. Foi mãe nova, aos 21, mas acredita que isso não impede nada. Pelo contrário, aproxima. “Tenho uma relação ótima com a minha filha. Ela é muito inteligente, descolada… Só posso ter muito orgulho do presente que foi para mim”.

Divorciada do pai de Manoa, Carol hoje tem um novo amor. E fica feliz da boa relação entre todos da família. “Meu ex-marido é ótimo. Um ótimo pai e, para mim, ótimo amigo. Sou até madrinha da filha dele do segundo casamento. E, aqui em casa, a Manoa ganhou um padrasto. Ele é um cara incrível, carinhoso, que trouxe coisas muito boas para a nossa vida. Ainda contei com o respaldo da minha mãe e minha vó para criá-la. Venho de uma geração de mulheres muito fortes. E Manoa não será diferente”.

Bem na fase da adolescência, mãe e filha conversam sobre tudo e Carol afirma ter orgulho do que ensina a Manoa. “Digo a ela que tem de estar preparada para ser quem ela é. Não deve ter medo de ser apontada, ou ouvir julgamentos. Incentivo a usar a roupa que quiser usar, ouvir a música que quiser ouvir. Que não abaixe a cabeça nunca, para ninguém. Nesse ponto, acredito muito que acertei”.

Carol e Manoa também conversam muito sobre feminismo e união entre as mulheres. “Precisamos acabar com essa rivalidade criada entre nós. Mulheres têm de se defender. Precisamos saber que somos mais fortes juntas. Devemos sempre olhar para os lados e cuidar umas das outras”.

Na internet, Manoa dá um baile em Carol. “Confesso que me atrapalho um pouquinho”, brinca. “Não sou rápida como ela. Acho que essa geração já nasce dentro da internet, é loucura. Minha filha tem opiniões fortes e expõe muito bem seus pensamentos. Já eu, não sou tanto de postar, de publicar. Mas estou sempre acompanhando. É muito bom ver a novela lendo o Twitter, por exemplo. Porque ali a galera já põe a opinião na hora. Dá pra ver se estão gostando, ou não, o que pensam”.

 

PUBLICIDADE