PUBLICIDADE

Miriam Freitas

O cantor Ceceu Valença (filho de Alceu Valença) participou do Sarau Meta (One Real) no Beco das Garrafas no Bairro de Copacabana no Rio de Janeiro

Ceceu cantou ao lado da idealizadora do projeto Jehane Saade

 

Sarau da One Real une literatura e música

Em sua terceira edição, o sarau Meta no Beco, do coletivo de artistas One Real, ocupou o  icônico Bottle’s Club, no Beco das Garrafas, em Copacabana, na noite de quarta (6/12), promovendo um encontro entre a música e a literatura.

É uma alegria imensa poder abraçar os amigos neste final de ano. Como sempre, trazemos novidades, e esta noite é a um oferecimento da Fundação SM, que, como nós, contribui com a vanguarda da arte dando espaço para novos autores”, disse a anfitriã Jehane Saade, idealizadora do projeto.

Carlos Eduardo Braga, Gestor de Negócios de Literatura do Grupo SM, apresentou o trabalho da empresa na área editorial e de educação e falou das conexões com o mundo das artes, simbolizada na participação no sarau.

A Fundação SM surgiu na Espanha e hoje está em nove países. Trabalhamos com quatro pilares: o primeiro é trazer equidade educacional, e não tem como falar de educação sem falar em arte. O resultado do Pisa divulgado recentemente mostrou o déficit educacional do Brasil, que é muito cruel, porque não nos dá a oportunidade de democratizar a arte”, afirmou Carlos, que é também historiador e artista plástico.

Ele listou os outros três pilares que norteiam o trabalho da fundação — pensar a formação continuada de educadores; alcançar o aluno que vive em situação de exclusão por meio de ações socioeducativas; e fomentar a leitura e a escrita — e apresentou o próximo lançamento do projeto “Brasil e Suas Vozes”, que estreou em 2021 com a intenção de “romper os espaços geográficos”, trazendo a diversidade da produção literária brasileira.

Vocês estão tendo o privilégio de serem os primeiros a conhecer ‘O Rio do Meu Tio’, um livro infantojuvenil em que provoquei a Lúcia para trazermos a estética do Rio de Janeiro”, disse Carlos Eduardo, introduzindo a autora do livro, Lúcia Fidalgo.

Foi uma honra o convite para escrever sobre o Rio. O livro conta a história de um menino cujo sonho era conhecer essa cidade. Sou carioca da gema e tenho uma paixão por essa cidade, foi uma alegria e uma honra falar sobre ela”, disse a escritora.

Se o projeto Brasil e Suas Vozes busca a diversidade literária do país, o sarau Meta no Beco (meta de meraversos e produção em áudiovisual)  cumpre o mesmo papel na música, reunindo artistas novos e independentes de variados estados e estilos, como ficou provado mais uma vez no encontro de quarta.

A noite foi aberta pelo cantor Madu, que mostrou versões para o xote “Deus me Proteja” (Chico César), “Os Mais Doces Bárbaros” (Caetano Veloso), “Aguenta Coração” (José Augusto) e duas canções de Tom Zé: “Sonho Colorido de Um Pintor” e “Tô”.

Marcio Dias, da banda Profusão Sonora, dividiu o palco com o violonista Reynaldo Costa e a baixista Kathyla Katheryne Valverde, apresentando “Otimismo Amoroso” e uma versão para “Sobre o Tempo” (Nenhum de Nós). Saade, a anfitriã da noite, também mostrou seu talento, estreando sua composição “Palavras Pequenas”. Cláudio Frêp levou ao palco seu “Manifesto Caboclo”, texto e EP, com canções como “Flor de Jambeiro” e “Amor Perfeito”.

Um dos  grandes destaques da noite foi a animação dos convidados pernambucanos, que mobilizaram o público que lotou o Bottle’s. 

Ceceu Valença (filho de Alceu) cantou seu sucesso “Doce Menina” e dividiu os clássicos “Chega de Saudade” e “Sina” com Saade. Na sequência, o cantor Bedai mostrou suas composições “Fogo no Brasa” e “Desenho de Deus”, sucesso na voz de Armandinho. Também agradeceu “à guerreira Jehane Saade” pela criação do sarau.

É muito fundamental a força, a fé, todo mundo reunido aqui. Todo mundo tem seu trabalho, tem muita coisa séria envolvida, uma salva de palmas para o projeto”, disse Bedai. 

Dentro do espírito colaborativo e improvisado do sarau, ele assumiu a bateria para a apresentação da jovem Becky Bee, de 26 anos, vinda do Mato Grosso do Sul para apresentar seu reggae “Deixa Eu Ser Assim” e o rap “Culpa-me” que compôs para seu filho.

Os shows do sarau foram registrados em vídeo e poderão ser vistos em breve na plataforma onereal.tv. “A One Real é uma marca voltada ao crescimento de artistas independentes, um coletivo que apoia artistas na construção de bens patrimoniais e geração de conteúdo de valor para nossa sociedade”, disse Saade.

O sarau idealizado pela cantora e empresária volta aos palcos em 2024, continuando sua missão de inovar a articulação e o desenvolvimento do meio artístico, na busca por novos talentos.

Quem esteve presente foi: Rodrigo Candelot, Neves Blue, Axel Brendo, dentre outros

Créditos- Rogério Fidalgo (fotos)

Por: Míriam Freitas 

Colunista Social