PUBLICIDADE

saúde

Por que famosas com mais de 30 anos estão congelando óvulos?

Monique Alfradique, Paolla Oliveira e Paula Fernandes são adeptas do procedimento e já falaram abertamente sobreo congelamento de óvulos

O ciclo reprodutivo feminino não acompanha todas as atividades pessoais e profissionais que uma mulher deseja desempenhar até depois dos 35, 40 anos. Mas o congelamento de óvulos é uma alternativa para quem deseja ser mãe no momento mais adequado de sua vida. O procedimento tem sido utilizado, inclusive, por famosas que já passaram dos 30 anos.

“Os avanços científicos permitem o congelamento dos óvulos para que sejam utilizados posteriormente, em momento mais propício para a mulher”, explica a médicaespecialista em reprodução assistida, Cláudia Navarro.Ter filhos mais tarde já é uma tendência. Segundo o IBGE, o número de mulheres que deram à luz entre 30 e 44 anos cresceu 36% entre 2008 e 2018.

O que as famosas dizem?

A atriz Monique Alfradique, 33 anos, por exemplo, disse que um de seus propósitos para 2020 é congelar seus óvulos. Segundo ela, as mulheres mudaram, ganharam o mundo e têm cada vez mais conquistas pessoais e planos de profissionalização. “Só que temos nosso relógio biológico e aí é preciso pensar sobre o desejo de ser mãe”, disse em entrevista ao Gshow.

Seguindo a mesma linha, a cantora Paula Fernandes, 34 anos, afirmouem um bate-papo no canal da Thais Fersoza, no Youtube, que tambémpensa em congelar os óvulos. “Vou fazer porque é necessário. É um conforto pra gente”, comentou.

Já a atriz Paolla Oliveira, de 37 anos, solteira, realizou o procedimento recentemente a conselho de sua médica. “Mexeu com o emocional ver que o envelhecimento do corpo não é só ruga no rosto, e sim comparar as taxas dos exames. É clichê dizer isso, mas me olhei de dentro para fora, o tempo passou, por isso aceitei fazer tudo que fiz”, declarou em entrevista à revista Harper’sBazaar.

Entenda o procedimento

O congelamento de gametas (criopreservação) é um procedimento feito por meio da indução da ovulação, que possibilita a coleta dos óvulos. Essa indução é feita com medicamentos seguros e o óvulo é submetido a uma variação de temperatura de 37ºC a -196ºC em menos de um segundo. O material congelado fica armazenado em nitrogênio líquido, podendo ser mantido assim por tempo indeterminado.

O congelamento de gametas é uma alternativa que pode ser considerada por mulheres, independentemente de seu estado civil. E, depois, em plenas condições de saúde e em uma fase da vida em que deseja engravidar, ela pode recorrer ao parceiro ou doador anônimo, para passar pelo processo de fertilizaçãoin vitro (FIV) – ou seja, em laboratório.

Gravidez após os 40

O conceito popular é que a mulher pode engravidar até a menopausa. “Porém, na verdade, em torno dos 30 anos de idade a capacidade reprodutiva começa a cair e,a partir dos 35, essa queda vai se tornando ainda mais rápida e acentuada, alcançando índices muito baixos de fertilidade após os 42 anos, antes da menopausa”, explica Cláudia Navarro.

Cláudia ainda ressalta que a idade mais indicada para que a mulher consiga engravidar tranquilamente é até cerca de 35 anos. Já após os 30, as chances diminuem porque a reserva de óvulos se reduz, devido ao processo de envelhecimento do sistema reprodutivo. A mulher já nasce com quantidade determinadade óvulos e não produz além deles.

Atenção à infertilidade!

Adiar a gestação de forma natural pode se tornar um problema. Por definição, a ausência de gravidez, após um ano de relações sexuais regulares, sem uso de nenhum tipo de método contraceptivo, já constitui diagnóstico de infertilidade daquele casal. “É preciso procurar o médico para que se inicie a pesquisa das possíveis causas de infertilidade”, alerta a especialista.

Nos casais em que a mulher está com 35 anos ou mais, após seis meses de tentativa sem sucesso já se deve pesquisar se há algum problema. Ela lembra que quando se tem um diagnóstico de infertilidade, 35% das vezes os fatores estão ligados à mulher e outros 35% aohomem.  Em 20% ambos podem ter alguma alteração e, o restante, mesmo com todos os exames, não é possível definir a causa da infertilidade.

PUBLICIDADE