PUBLICIDADE

zapping

Projeto mapeia memória do futebol LGBTQIA+

O projeto “Diversidade em Campo” busca evidenciar memórias e histórias além do futebol hegemonico, contribuindo, assim para a promoção e o respeito à inclusão. A proposta é olhar para o esporte mais amado do país com uma outra vertente, sem preconceito, envidenciando as memórias catalogadas pelo Centro de Referência do Futebol Brasileiro, área do museu responsável pelo acervo e pesquisa.

Entre os eventos referenciados estão os Gay Games (Jogos Gays), evento organizado desde 1982 que se assemelha aos Jogos Olímpicos. Além de ocorrer a cada quatro anos e contar com uma chama olímpica, a competição inclui grande variedade de modalidades, como esportes aquáticos, atletismo, basquete, vôlei, boxe, ciclismo e, claro, futebol. É o maior evento cultural e esportivo voltado para atletas e o público LGBTQIA+, com participação de pessoas de diversas orientações sexuais e níveis esportivos. Na edição de 2018, realizada em Paris, na França, o Brasil levou 60 representantes – inclusive uma equipe de futebol de 7, Bees Cats, único time da América do Sul na edição – e conquistou 24 medalhas (9 ouros, 11 pratas e 4 bronzes).

O material pesquisado já catalogado pode ser visto pelo site e são atualizados constantemente: https://dados.museudofutebol.org.br/2d#/tipo:eventos/718407,Diversidade%20em%20Campo:%20Futebol%20LGBT+

PUBLICIDADE