PUBLICIDADE

ARQUIVO ///

Três perguntas para…

(Crédito: Divulgação)

Lorenna Adrian, 20 anos, modelo carioca que está de volta ao Brasil depois de temporada na Europa. Ela é moradora da Baixa do Sapateiro, Complexo da Maré, e nos conta um pouco sobre sua história e as dificuldades da quarentena em seu retorno.

Quando decidiu investir na carreira de modelo?

Desde sempre fui acostumada a ouvir que, por ser alta, deveria ser modelo ou jogadora de basquete ou vôlei. De tanto incentivarem tal potencial, por causa da minha altura, surgiu o meu interesse e dos meus pais de investirmos na carreira de modelo. E cá estou!. Há quem pense que foi fáci,l mas afirmo que não. Exige principalmente investimento, que muitas e muitos não têm. Tudo começou a ganhar forma quando participei de um concurso no Rio de Janeiro, conhecido como Dilson Stein New Models. Fui aprovada e meses depois precisei deixar minha vida no Rio, os meus pais, tranquei minha faculdade, e fui para São Paulo seguir meu sonho. Fiz minha primeira temporada em novembro de 2019, em Milão e, depois, em Paris.

Como foi desfilar para marcas como Giorgio Armani e Empório Armani?

Até hoje eu paro para pensar e fico em êxtase, pois desfilar para uma das maiores marcas da temporada, logo eu, uma modelo new face, que recém havia chegado às passarelas internacionais, conseguir dois desfiles é de uma alegria e de uma realização imensuráveis.

Como foi o seu retorno ao Brasil, em meio à pandemia?

Eu pude viver na Itália, na melhor e na pior fase. Vi Milão com lojas cheias e depois todas elas fechadas, só funcionavam mercados e farmácias, com limite de pessoas, distanciamento de um metro, uso de máscara, Se alguém fosse pego andando na rua sem motivo, era multado. E para sair de lá, tive três voos cancelados que iriam de Milão para Alemanha, e de lá para o Brasil. Minha agência precisou trocar as passagens de Milão para Roma, e de Roma para o Brasil. Assim consegui chegar em São Paulo, mas meus pais viajaram a madrugada inteira para conseguirem me buscar no Aeroporto de Guarulhos, porque não tinha transporte. Foi complicado, sigo em quarentena e, em breve, estarei de volta às passarelas.

(Crédito: Divulgação)

Experiências gastronômicas em eventos boutique

Hoje, às 13h30, Monique Abrantes, diretora de marketing da grife de buffet D.A. Gastronomia, participa do Boot Camp idealizado pelo Instituto Florida Events Academy, onde ministra a palestra “Experiências gastronômicas em eventos boutique”. O encontro ainda conta com a participação de diversos especialistas como Roberto Cohen, Daniel Cruz e Fabiano Niedreauer. A conferência aborda sobre casamentos pequenos e o futuro dos eventos. Podem participar empresários do setor. Inscrições e informações pelo site: www.floridaeventsacademy.us.

CEO da Ancar Ivanhoe, Evandro Ferrer (Crédito: Divulgação)

Shoppings reabrem com rotinas de sanitização e desinfecção, serviço drive-thru e armários inteligentes

A pandemia do coronavírus trouxe uma nova realidade para os shoppings centers. Com as atividades encerradas desde março, os empreendimentos utilizaram o período de fechamento para se prepararem para a retomada. Baseado em experiências internacionais, os shoppings Nova América, Boulevard, Botafogo Praia, Madureira e Rio Design Barra e Leblon, do Grupo Ancar Ivanhoe, uma das maiores empresas de shoppings do País, implementaram novos protocolos preventivos e investiram em tecnologias especializadas, para reforçar a sanitização do equipamento e garantir que esses ambientes sejam espaços ainda mais seguros para todos os seus frequentadores com a campanha “Cuidando de você”.

Dentre as principais medidas está a contratação de um serviço especializado em desinfecção. Respeitando as determinações da Prefeitura do Rio de Janeiro, os shoppings ainda irão operar em horário reduzido; os clientes deverão ainda usar máscaras e terão suas temperaturas corporais aferidas por um termômetro digital infravermelho.

Para auxiliar nas vendas dos lojistas, o shopping segue com o serviço de entregas por drive-thru, que acontece desde o período de vendas para o Dia das Mães, assim como o delivery e o Retire Aqui. A proposta busca disponibilizar facilidade de compra, entrega eficaz e pagamento digital, com a confiança e eficiência que os clientes que visitam diariamente os shoppings já estão acostumados. O cliente faz a compra por meio digital de cada uma das operações e escolhe a forma como deseja receber a mercadoria.

Antes de chegarem às mãos do consumidor, todos os produtos são rigorosamente higienizados pelo vendedor, que efetua a entrega utilizando máscara de proteção, sem que o cliente saia do carro.

Para garantir que os shoppings sejam um ambiente seguro para circulação, a administração reforça que é fundamental que os lojistas sigam todas as medidas orientadas pelos empreendimentos. Para isso, os shoppings consolidaram em uma cartilha com todas as orientações e novas normas a serem cumpridas.

(Crédito: Divulgação)

Santuário Cristo Redentor celebra Corpus Christi com projeção de tapetes de sal e lançamento de fundo social de investimentos

No último dia 11, o Santuário Cristo Redentor celebrou a solenidade de Corpus Christi de forma inovadora, neste tempo de pandemia. Os tradicionais tapetes de sal, que anualmente são feitos em frente à Catedral Metropolitana de São Sebastião do Rio de Janeiro, e no interior de várias paróquias, desta vez foram projetados no monumento ao Cristo Redentor. O arcebispo do Rio, cardeal Orani João Tempesta, concedeu a Bênção Solene de Corpus Christi com o Santíssimo Sacramento e, em seguida, deixou uma linda mensagem. A celebração terminou com o lançamento do Fundo Cristo Redentor e a projeção de vídeos de personalidades que estão apoiando a nova plataforma de aplicação financeira.

(Crédito: Diguinho Soares)

O catarinense Miguel Bottini, 6 anos, já está escalado para gravar no segundo semestre a série “Horas de Fúria”, com direção de Alexandre Henry, escrita por Edi Wilson Marques, que será gravada em Miguel Pereira. Ele começou aos 4 anos, quando fez seu primeiro teste para uma peça de teatro chamada “O menino e a fada”; aos 5 anos gravou seu primeiro trabalho para TV – uma participação na segunda temporada da série “Homens?”, criada por Fábio Porchat e dirigida por Jhonny Araújo. Miguel, que foi um sucesso, interpretou Alexandrinho, personagem de Fábio Porchat quando criança.

PUBLICIDADE