PUBLICIDADE

Miriam Freitas

Vencedor de Melhor Filme no Indie Film Festival, “Derrapada” ganha data de estreia

Matheus Costa, Heslaine Vieira e Nanda Costa se encontram em “Derrapada“, novo longa dirigido por Pedro Amorim, que chega aos cinemas no dia 22 de junho. O filme passou pelas últimas edições do Festival do Rio, Mostra de São Paulo e Indy Film Festival, em Indianápolis (EUA), onde venceu Melhor Filme pela categoria “Cinema Mundial”. A produção foi assinada pela 3 Tabela Filmes, com coprodução da Globo Filmes, Camisa Listrada BH e Telecine, e distribuição da Manequim Filmes.

Derrapada” é uma adaptação de “SLAM”, romance do autor britânico Nick Hornby publicado em 2007. O roteiro escrito por Izabella Faya e Ana Pacheco, com colaboração de Pedro Amorim, traz para território brasileiro a história que originalmente se passava em Londres. Samuca (Matheus Costa), um skatista de 17 anos, descobre que a namorada Alicia (Heslaine Vieira) está grávida. Ele repete a “derrapada” de Melina (Nanda Costa), sua mãe, que engravidou com a mesma idade. Entre o elenco, também estão Luís Miranda, Augusto Madeira, Jussara Mathias e Felipe Rocha, além do skatista e campeão mundial Bob Burnquist, que teve uma participação especial. O longa foi filmado nos bairros de Madureira e Maracanã, no Rio de Janeiro, e na cidade mineira de Cataguases. A produção conduzida por Fernanda Reznik e Izabella Faya contou com o apoio do Pólo Audiovisual da Zona da Mata.

No dia 19 de maio, alunos e professores de escolas públicas foram convidados para uma sessão especial no Centro Cultural Humberto Mauro, em Cataguases. O encontro contou com a participação dos estudantes da escola que foi cenário do filme. Depois da exibição, todos se reuniram em um debate sobre gravidez na adolescência.

Eles ficaram vidrados no filme. No debate, todos ficaram até o fim, e a vontade de todos era estender aquele momento. Uma aluna chegou a fazer um manifesto, leu super nervosa para todos e revelou como foi importante para ela ver que um professor respeita e estimula Alicia (protagonista) a ser uma líder na escola. Vários alunos trouxeram suas vivências pessoais e total identificação com os personagens, principalmente no que diz respeito a ausência da responsabilidade paterna e da repetição da gravidez na adolescência.”, conta Izabella Faya, co-roteirista e produtora executiva do filme.

Por: Míriam Freitas 

Colunista Social