PUBLICIDADE

celebridades

Contra Camila Queiroz, Globo estuda processo por prejuízo financeiro

A Globo reúne provas para processar a atriz Camila Queiroz e o escritório 13th Productions por dano extrapatrimonial. A atriz foi demitida da emissora e deixou a novela Verdades Secretas 2, onde era protagonista, antes do término das gravações. A ação judicial é um revide contra o empresário Rick Medida, dono da agência que cuida da carreira da morena.

De acordo com o Notícias da TV, a emissora está revoltada com a forma que Medina e Camila agiram na saída da atriz da global. A maior linha de defesa é que a emissora alegue prejuízo financeiro e moral com a decisão de Camila de não terminar a novela de Walcyr Carrasco.

 

Enquanto isso, a atriz e o empresário consultam advogados para ir à Justiça por assédio moral contra a líder de audiência, por conta do comunicado que anunciou a saída de Camila da emissora. Na nota, a Globo alega que a ex-modelo impôs medidas contratuais inaceitáveis.

“Para assinar a extensão de contrato necessária à gravação das cenas finais da novela, Camila Queiroz quis determinar o desfecho da personagem Angel e exigiu um compromisso formal de que faria parte de uma eventual terceira temporada da obra, além de outras demandas contratuais inaceitáveis”, diz um trecho do comunicado.

Medidas contratuais

A atriz Camila Queiroz teria exigido da emissora que as publicidades de uma eventual terceira temporada da novela fossem aprovadas por ela.

De acordo com a coluna O Melhor da TV, a intérprete de Angel faltou às gravações justamente no dia em que seriam filmadas as cenas do desfecho da protagonista da novela. A artista apresentou um atestado médico à emissora para justificar a ausência.

A falta da intérprete de Angel impossibilitou que a equipe gravasse as cenas finais da personagem. Como aquele era o último dia de contrato entre Camila e a Globo, a emissora tentou firmar uma extensão do vínculo, para que as gravações prosseguissem e a protagonista da novela tivesse o fim devidamente registrado. Mas não houve acordo.

PUBLICIDADE