PUBLICIDADE

arte & cultura

Arte sensorial: Raphael Masi cria coleção usando vinis como obras de arte

Na série ‘Sonnora’  é possível ouvir músicas ao apreciar os quadros


Eleito artista revelação de 2020 pela crítica, Raphael Masi tem sentido na pele os efeitos da arte como ferramenta da busca pela paz interior. No início da pandemia, o paulista estava com obras expostas no salão do Hotel Hilton em São Paulo e, por recomendação de evitar aglomerações, o acesso à exposição foi fechado. Com baixa expectativa, acabou se surpreendendo ao receber inúmeros pedidos por telefone e em seu site oficial.

“Eu tinha obras de pronta entrega em catálogo e no início desse ano dei sold out. Assim, optei por criar uma coleção do zero e expandir a opção para os colecionadores, assim surgiu a série Sonnora”, explica Masi.

A coleção Sonnora tem como base a música, onde as obras foram produzidas por Masi em seu ateliê somente com um fone e uma trilha sonora. Ali, pintava o que escutava, como se fosse uma releitura abstrata e cada peça tem sua música base. Ao todo, são 10 vinis e 4 obras pintadas.
“Nos meus estudos percebi que minhas referências não eram apenas visuais, podemos ter gatilhos criativos com o tato, olfato e audição. Transformei meu ateliê em um pequeno estúdio, onde cada música abriria uma percepção de tons e texturas. O resultado foi uma pequena coleção abstrata de vibrações assinados à mão.”, conta Masi.

Na série, Masi anexou um código atrás de cada obra, ao escanear esse código, é possível escutar a trilha sonora da obra em que o artista usou de referência para pintar.

PUBLICIDADE