PUBLICIDADE

celebridades

Nicole Pappon ensina outros influenciadores como cobrar por stories

Hoje em dia uma das grandes dúvidas (se não a maior) dos influenciadores digitais é quanto cobrar na hora de fazer um story ou uma postagem no feed. Assunto corriqueiro que atormenta a vida principalmente daqueles que não possuem profissionais pra cuidar de suas carreiras, a pergunta raramente é respondida por pessoas do meio ou pela internet.

A Nicole Pappon, dona da agência Pappon Digital e especialista no mercado conta pra gente que o assunto ‘precificação’ não é debatido somente dentro de grande empresas: é também o drama de muitos influenciadores, pois a grande maioria ainda tem muitas dúvidas de quanto valem seus conteúdos.

“Quase todos que chegam até a gente não sabem ao certo quanto cobrar. Por isso que muitos procuram um assessor e agência profissionais pra cuidar da carreira. Precificar é complicado e muita gente perde dinheiro com isso”, conta Nicole.

Para a empresária, cada influenciador tem o seu valor e o seu mercado. “As atrizes, atores, pessoas mais conhecidas são sempre um pouco mais caros, por serem conhecidos pra além do nicho digital. Mas em todo trabalho é necessário fazer uma análise de números, ver a taxa de alcance, engajamento, público, métricas, curtidas e claro, a quantidade de seguidores, para só depois estabelecer um preço”. Mesmo assim, não adianta só olhar para as métricas, afirma Nicole. “Tudo isso importa, é claro, na hora de estabelecer o seu preço. Tempo de trabalho, custo para produzir, roteirizar, editar… São coisas mega importantes, mas não dá pra se basear em métricas muito altas e jogar o valor lá pra cima. Se todo mundo fecha por 10, você não vai conseguir nada fechando por 20. É uma questão de conhecimento de mercado, conhecimento do seu valor e de saber equilibrar esses dois pontos.”

Para finalizar, Nicole disse que não importa se você tem 5 mil ou 1 milhão de seguidores: o mercado exige números e se você quer entrar nesse ramo é quase que obrigatóeio saber quanto vai cobrar pelo que vai oferecer. “Minha dica principal é: procure um profissional, porque só assim saberá ao certo quanto cobrar e com toda certeza não perderá grana – pelo contrário, a tendência é sempre ganhar mais e mais. Uma boa assessoria te garante, além de um bom pagamento, novas oportunidades de trabalho, contatos e experiências que demorariam muito mais para aparecer por conta própria”.

PUBLICIDADE