PUBLICIDADE

4.0 - MANUALsaúde

Segundo Ministério da Saúde, Brasil teve 8 mortes por sarampo em 2018

O Brasil teve 8 mortes por sarampo em 2018, informou o Ministério da Saúde nesta quarta-feira (5). Segundo a nota, foram 4 mortes em Roraima (3 estrangeiros e um brasileiro) e 4 no Amazonas (todos brasileiros, sendo 2 do município de Manaus e 2 do município de Autazes). Os estados têm surto da doença e juntos já registraram 1533 casos confirmados de sarampo.

Até o dia três de setembro, foram 1.579 casos de sarampo confirmados em todo país.

No Amazonas foram confirmados 1.232 casos e 7.439 estão em investigação. Já Roraima registrou 301 casos da doença, sendo que 74 continuam em investigação.

Outros estados também apresentaram casos, mas o governo não classifica como “surto”.

Vacinação prorrogada
A campanha de vacinação contra o sarampo e a poliomelite foi prorrogada até o dia 14 de setembro na tentativa de que a meta seja alcançada.

A meta do Ministério da Saúde é vacinar pelo menos 95% das 11,2 milhões de crianças independentemente da situação vacinal e criar uma barreira sanitária de proteção da população brasileira. Todas as crianças com idade de 1 até 5 anos devem comparecer nas unidades de saúde – exceto as que já se vacinaram contra as duas doenças nos últimos 30 dias.

Quem deve ser vacinado?
Contra a poliomielite: crianças de 1 até 5 anos independentemente de quantas doses já tomou. Em casos de nenhuma dose, será aplicada a Vacina Inativada Poliomielite. Em caso de uma ou mais doses, será aplicada a Vacina Oral Poliomielite, a famosa “gotinha”.

Contra o sarampo: crianças de 1 até 5 anos independentemente de quantas doses já tomou.

Não devem ser vacinadas: crianças de 1 até 5 anos que tenham sido vacinadas nos últimos 30 dias.

Em relação à paralisia infantil (poliomielite), trata-se de uma precaução, já que 312 cidades estão abaixo da meta preconizada para o controle da doença e um caso foi registrado na Venezuela em junho. Não há, contudo, casos de paralisia infantil no Brasil.

O país erradicou a poliomielite do território em 1994; já o certificado de eliminação do sarampo havia sido alcançado em 2016.

O ministério informou que para a poliomielite, as crianças que não tomaram nenhuma dose durante a vida, receberão a Vacina Inativada Poliomielite. Já os que já tiverem tomado uma ou mais doses da vacina, receberão a Vacina Oral Poliomielite, a famosa “gotinha”.

Em relação ao sarampo, todas as crianças receberão uma dose da vacina Tríplice Viral (que também protege contra caxumba e rubéola), seja qual for a situação vacinal, desde que não tenham sido vacinadas nos últimos trinta dias.

Informações: G1
Foto: Pixabay

PUBLICIDADE