PUBLICIDADE

gastronomia

A estação dos alimentos leves (sem feijoada!)

Por Rhayssa Nascimento

 Esqueça a feijoada, a buchada e as frituras.A ‘meia temperatura’ pede alimentos mais leves. As suas altas temperaturas refletem no funcionamento no metabolismo, que começa a ter um gasto de energia maior e perda de mais líquido pela transpiração. Esses sintomas alertam para uma mudança na alimentação.

De forma natural, os alimentos mais leves ganham espaço na dieta, e os gordurosos perdem espaço. Essa transformação não está ligada a vontade da pessoa, mas a explicações biológicas. Segundo a nutricionista supervisora do Hospital Ana Costa, Patrícia Brindo “os alimentos gordurosos exigem mais tempo e maior esforço do organismo para serem digeridos” e como consequência, a famosa indisposição.

Todo esse esforço gerado para digerir o alimento gorduroso deve ser evitado, pois durante o verão, o organismo precisa de mais energia para manter a temperatura corpórea estável, então não é recomendado um gasto energético com esses alimentos, alerta Patrícia.

alimentos-leves-tambem-podem-engordar

O momento então é de aumentar a ingestão de líquidos para evitar a desidratação, e a recomendação da nutricionista é: água de coco, sorvetes de frutas, gelatinas, sucos de frutas naturais e água mineral. Não é preciso sentir sede para consumi-los, a sede é sinal de desidratação, comenta Patrícia.

Quem deseja mudar os hábitos alimentares para uma vida mais saudável, o verão é indicado para esse início. O corpo pede por alimentos mais leves, e a introdução de alimentos crus como legumes e frutas é mais fácil, como lembra Patrícia. Mas ela também alerta para quem usa o momento para fazer dietas restritivas a fim de emagrecer “isso pode causar ao organismo uma desidratação, bem como, alterações do sono, infecções e problemas gastrointestinais”.

Outro alerta vai ao momento clássico nesta estação, a praia. A exposição ao sol deve ser acompanhada do consumo de muita água. E quando bater a fome evite o pastel, troque-o por frutas, biscoito de polvilho ou um sanduiche natural. Os cuidados com a higiene e armazenamento é outro cuidado citado pela nutricionista “não se esqueça de higienizar cuidadosamente os alimentos in natura. O ideal é utilizar a solução de desinfecção de legumes, verduras e frutas (hipocolorito de sódio) ou, no caso do uso de soluções caseiras, utilizar 1 litro de água para 1 colher de sopa de água sanitária. Mas atenção, deve-se utilizar apenas as águas sanitárias próprias para alimentos, essas medidas evitará uma intoxicação alimentar”.

 

PUBLICIDADE