PUBLICIDADE

Beleza

Transição capilar sem mistérios: inspire-se nas famosas e assuma seus cachos agora

Por Miriam Temperani

Parece desesperador viver com duas texturas diferentes no cabelo por alguns meses e é! Mas a recompensa de ter seus fios naturais, sem qualquer química e alterações é mais que satisfatória, é libertadora. É comum ler nos relatos de quem passou essa fase que a experiência transforma e brota um amor próprio intenso e definitivo. Mas por que a transição capilar é tão desafiadora e complicada?

O termo se tornou popular por intermédio das blogueiras e influenciadoras digitais que ganharam fama (e fortuna) ajudando outras crespas e cacheadas o caminho das pedras para se ter um cabelo natural dos sonhos. A transição ocorre quando uma pessoa deixa de fazer procedimentos químicos como alisamento, relaxamento, progressiva e coloração para deixar os fios com a aparência e forma natural. Para que o cabelo cresça e tenha tamanho suficiente para um corte, é preciso paciência para manter as duas texturas em harmonia e esse é o maior desafio do processo. Há quem opte por fazer o big chop, ou “grande corte”, termo cunhado nas redes sociais que significa cortar a parte alisada e assumir os fios naturais ou então manter a parte lisa dos fios, disfarçando as diferenças de texturas. Mas os especialistas alertam para os problemas que podem surgir com a decisão de cortar.

Segundo o mestre visagista Robson Trindade, precursor da ideia de se assumir os cabelos como eles são, lá em meados de 2003 quando trouxe o método Deva Curls para o Brasil, a técnica pode gerar um transtorno pessoal para a cliente que tomar essa decisão e é obrigação do profissional alertá-la sobre isso: “O mercado evoluiu muito e hoje há opções para retirar a química dos fios sem a necessidade de um corte e produtos naturais que fazem isso. Passar pela transição não é um caminho fácil para percorrer, é preciso comprometimento da cliente e um profissional que a ajude a percorrer esse caminho, que ajude ela, que esteja ao seu lado, pois vai haver quem faça um comentário pejorativo e isso pode fazer com que ela volte ao processo de alisamento”, esclarece Robson.

Para Wilson Farias, hair stylist, visagista e membro dos Mestres do Cachos, a decisão de escolher o profissional que vai acompanhar essa cliente na transição é essencial. “Nem todas as pessoas têm essa coragem de cortar o cabelo curto, então o profissional deve ajudar nesse momento e de preferência criar uma moldura para o rosto fazendo um trabalho bem diferenciado e pessoal. Uma arquitetura de corte com aplicação de método de visagismo que vai ajudar na sua autoestima e na trajetória até o cabelo dos sonhos”, recomenda Wilson.

Para lidar com as duas texturas, há inúmeros truques e recursos, porém nem todos são adequados e podem prejudicar os novos fios. Escovar e pranchar, principalmente. Segundo o hair stylist especialista em crespos e afros Juninho Loes, as escovas e pranchas não são as formas mais apropriadas para passar pela transição sendo até os maiores sabotadores da mesma. “A tração mecânica e o calor desarranja a célula molecular da fibra gerando alteração celular e pode chegar a alisar, mudando definitivamente a forma desse cabelo que está crescendo, aumentando o tempo de transição ou até interrompendo-a”.

Já Willie Mitchell, hair stylist especialista em cachos e membro dos Mestres dos Cachos, fazer escova em salão para disfarçar as texturas pode ser muito prejudicial ao fio, tanto pela tração e calor como pelo material utilizado sem remoção de agentes alisantes. “A partir de uma temperatura acima de 180 graus se o cabelo não for tratado e protegido corretamente corre-se o risco da degradação do fio. Mas não se trata apenas de diminuir o calor, se a escova utilizada pelo profissional tiver qualquer resíduo de produtos com base em petrolatos e não tiver protetor térmico isso eleva a temperatura podendo inclusive a fazer mudanças no córtex e levando ao alisamento”, alerta Mitchell.

Separamos vantagens em passar pela transição e cabelos naturais:

⦁ Menos tempo no salão. Não que a ida ao local deva ser abolida da sua rotina, pelo contrário. Cabelos naturais saudáveis precisam de ativos profissionais e cronograma adequado de cuidados para que não quebre, não resseque e não fique opaco. Mas essas idas não significarão mais horas a fio, é só o tempo para uma sessão de hidratação, uma finalização de deusa e tchau!
⦁ Adeus medo da chuva. Os fios naturais podem pegar aquela garoa ou chuva inesperada sem você se desesperar e enfiar um saco de supermercado na cabeça.
⦁ Elogios sem fim. Até naqueles dias que vc insiste que está num bad hair day, sabe? E se prepare para aquelas perguntas básicas de “posso tocar?” ou então “você faz esses cachinhos um por um?”.
⦁ Praticidade. Sabe aquele dia que você não quer lavar o cabelo, o chamado Day After? Com certeza é o dia em que seu cabelo estará mais bonito e volumoso. Não quer sair com ele solto, sem problemas. Um coque abacaxi ou um afro puff são companheiros práticos e inseparáveis das cacheadas.
⦁ Representatividade. Você será exemplo para outras crespas, cacheadas e onduladas também se assumirem e ajudará com a auto estima das crianças, que precisam de representatividade para crescerem felizes e seguras de si. Quer mais?

Famosas que passaram (ou estão passando) pela transição capilar

Paola Oliveira
A queridinha global assumiu seus fios anelados durante a pandemia e virou garota propaganda de produtos para cronograma capilar. “O momento cacheada chega para todas”, declarou em suas redes sociais após aparecer com os fios totalmente cacheados.

 

Érika Janusa
Corajosa, a atriz aproveitou o papel na novela “Amor de Mãe” para fazer o big chop e optou por deixar os fios curtinhos. Embaixadora de uma marca de cosméticos específicos para crespas e cacheadas, ela usa suas redes sociais para falar sobre as madeixas crespas e mostrar os cuidados para deixar os fios sempre hidratados.

Juliana Paes
Muitos fãs não levam a sério a mudança no cabelo da atriz, uma vez que ela já deu inúmeras declarações que prefere ele liso durante os trabalhos na TV por conta da continuidade das cenas, mas os cachos volumosos de Juliana são lindos e muito cobiçados.

 

Maisa
A teenager recebeu muitas críticas após assumir sua transição nas redes sociais, mas não desistiu, seguiu firme e forte e foi contando cada fase do processo nas suas redes sociais, até fazer o big shop. E ainda se declarou para o cabelo: “Eu queria dizer que você deve ter percebido que nos últimos anos a nossa relação mudou, né? Poxa, eu te quero de volta, do seu jeitinho, eu juro que eu vou tentar te amar do jeito que você merece. Eu mudei, você mudou e a gente continua unido. Que lindo isso. Te aceito de volta, você aceita minhas desculpas?” Muito fofo.

Rayza Nicácio
Famosa na internet justamente por seus lindos cabelos cacheados, a influencers foi alvo de muitas críticas por aparecer só de cabelo liso por muitos meses. Ela finalmente se pronunciou contando que o excesso de calor de escovas para trabalhos profissionais alisou uma parte de seus fios e entrou em transição capilar novamente em janeiro deste ano e segue contando todo processo em vídeos e posts nas redes sociais.

Iza
Camaleoa, a cantora ama e usa e abusa das perucas, quase não aparecendo com seus fios naturais. Mas foi nas redes sociais que Iza contou sobre o processo de transição capilar e aceitação dos seus cabelos e incentivou outras meninas a não desistirem: “Meninas que estão fazendo transição, não desistam. Vale muito a pena”.

PUBLICIDADE