PUBLICIDADE

4.0 - MANUAL

5 procedimentos para deixar as pernas lindas

O treino da academia pode até surtir um bom efeito, mas ainda incomoda aquela celulite, as linhas brancas das estrias e os vasinhos aparentes nas pernas? Então, é hora de recorrer a procedimentos que podem ajudar na beleza das pernas. Contra gordura localizada, celulite, flacidez, estrias e varizes, consultamos especialistas que trazem os mais recentes procedimentos para colocar as pernas à mostra!

1 – CELULITE
Procedimento: VelaShape III

Como age: Referência em tratamento contra celulite, VelaShape chega ao mercado em sua nova versão, mais potente (150W), permitindo aquecimento mais específico e confortável, com resultado também na redução de gordura localizada e flacidez. VelaShape 3 utiliza a tecnologia de radiofrequência bipolar. “No procedimento, as células de gordura são aquecidas a uma temperatura de 42º a 45ºC provocando apoptose (morte) dos adipócitos de forma completamente segura sem queimar a epiderme”, explica a dermatologista Dra. Claudia Marçal, de Campinas. “No caso da celulite, o equipamento age diretamente nas camadas superficiais do tecido, onde se encontra essa alteração; no entanto, como atua simultaneamente nos tecidos mais profundos, melhora o processo inflamatório que provoca a própria celulite”, completa a dermatologista.
Número de sessões: quatro sessões, uma a cada 15 dias.

2 – FIRMEZA
Procedimento: Legacy

Como age: Contando com tecnologia 4D, que combina pulso magnético, radiofrequência multipolar (com 150W), Varipulse (sucção ajustável para ação profunda da tecnologia) e controle térmico de temperatura, Legacy é a grande aposta para tratamentos de firmeza de pele corporal. “A radiofrequência multipolar aquece o tecido de maneira homogênea; este aquecimento atua sobre o colágeno e a elastina, promovendo a melhora da flacidez, com a atuação conjunta como pulso magnético, o tratamento atua sobre os fatores de crescimento dos fibroblastos. Assim entregando no final do tratamento uma pele mais firme e com mais elasticidade”, explica a dermatologista Dra. Luciana Lourenço, Doutora pela Faculdade de Medicina da USP e Pós-graduada em Cosmiatria e Cirurgia dermatológica pela Faculdade de Medicina do ABC. Dessa forma, a tecnologia também age contra gordura e celulite, ao aumentar a atividade metabólica, realizar a criação de novos vasos, com consequente aumento da oxigenação e nutrição da pele, além de provocar estímulo nos fibroblastos, o que contribui para aumentar a quantidade de colágeno e elastina.
Número de sessões: seis a oito sessões, de 15 em 15 dias

3 – VARIZES
Procedimento: CLaCs

Como age: O procedimento utiliza laser não-invasivo e injeções de glicose, para aumentar eficácia do tratamento e reduzir os efeitos colaterais. “Com o método combinado, o laser pode ser aplicado com energia mais baixa (o que diminui a dor no tratamento) emitindo pulsos de luz que penetram no corpo do paciente e são absorvidos pelo sangue – agindo nas varizes sem causar dano à pele”, explica a Dra. Aline Lamaita, cirurgiã vascular e médica do corpo clínico do Hospital Albert Einstein. Logo em seguida, a glicose é aplicada nos mesmos locais onde foi realizado o laser, potencializando seu efeito e secando as varizes. Sendo assim, o método inovador reduz a quantidade de sessões. “Outros tratamentos também podem ser indicados, dependendo do grau das varizes”, acrescenta.
Número de sessões: “Em apenas três sessões, é possível notar uma melhora significativa, de 70%”, comenta a médica.

4 – GORDURA LOCALIZADA
Procedimento: Total Sculptor by Power Shape

Como age: Único equipamento do mundo a associar criolipólise, ultrassom microfocado, corrente de estímulo muscular, radiofrequência multipolar e criofrequência para tratar de forma efetiva a gordura localizada, promover remodelação corporal e definir o músculo. O protocolo começa com o congelamento das células de gordura que, logo após, são destruídas por um potente ultrassom microfocado. Enquanto isso, a corrente de estímulo muscular age: “É uma tecnologia que faz a paciente ‘malhar’ de forma passiva. Enquanto a paciente está parada, o equipamento começa a contrair e soltar o músculo várias vezes até fazer a definição da área muscular”, explica Dr. Abdo Salomão Jr, dermatologista membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Academia Americana de Dermatologia.
Número de sessões: uma.

5 – ESTRIAS
Procedimento: Eletroderme

Como age: As agulhas ultrapassam a epiderme, emitindo ondas eletromagnéticas apenas nas camadas mais profundas da pele, preservando a superfície. Isso faz com que a temperatura da derme chegue até a 70ºC, estimulando a produção de colágeno e refazendo as fibras rompidas, explica o Dr. Abdo. A ação do Eletroderme provoca o estímulo da regeneração celular por meio do processo de cicatrização, a proliferação de células-tronco e estímulo da síntese de elastina, da neocolagênese (produção de colágeno) e angiogênese (proliferação de vasos sanquíneos).
Número de sessões: São necessárias, em média, quatro sessões com intervalos mensais.

Foto: Reprodução