PUBLICIDADE

– INVISÍVEL

A democrática camisa branca e suas diversas possibilidades de uso

Um dos básicos mais importantes em qualquer figurino contemporâneo é a camisa branca.

Impossível ignorar o apelo desta peça que veste bem todas as tribos.

Clássica, chique e versátil a camisa branca se ajusta a qualquer estilo e orçamento.

Até a sofisticada grife italiana Valentino, se rendeu ao fascínio desta peça ao incorpora-la na coleção mostrada na Semana de Moda de Paris, para o verão 2020/21 em setembro.

A proposta de Pierpaolo Piccioli, diretor de estilo da marca, foi trabalhar com algo universal, voltar à essência da forma e do volume e a camisa branca foi a resposta e inspiração, mas com um tratamento de alta costura.

O show de Valentino abriu com 12 looks totalmente brancos, com evidente inspiração neste básico da moda como um ar fresco e otimista da primavera.

Unanimidade nas passarelas de moda e nas ruas a camisa branca é peça indispensável para muitos guarda-roupas, por isto pode ser considerada a roupa mais democrática da moda.

É uma conexão de vários mundos, um consenso de vestir elegante e ainda ficar sexy.

Ponto de luz para as cinzas, pretos, marrons e outros escuros e neutralizador de tons vivos, veste bem com tudo, da calça de jeans a produção social.

Além de harmonizar com todos os tons de pele, é a cor de mais fácil manutenção.

De dia mistura fácil com outras peças e à noite pode brincar com transparências e acetinados, usada com calças ou saias longas e alguns botões estrategicamente abertos

PEÇA VITORIOSA

Em sua trajetória a camisa branca passou por várias épocas e gerações, recebendo mudanças para serem aceitas pelos consumidores.

A palavra “camisa” tem origem no latim medieval “CAMISIA”, ‘roupa de dormir’, derivado do grego “KÁMASOS”, ‘túnica’.

A camisa branca nasceu no Egito e tinha corte reto, com abertura somente para a cabeça.

Outros historiadores acreditam que ela se originou em Roma, outros que foi na Idade Média.

Inicialmente, eram usadas para cobrir o corpo como proteção, pijama ou roupa de baixo. Na época, só existiam camisas brancas e eram usadas pela nobreza.

A função era basicamente a de higiene e para proteger os tecidos mais nobres usados por cima.

Em 1880, a camisa branca começou a ser exibida, sendo usadas por profissionais femininas, como governantas, datilógrafas e balconistas. Também virou uniforme de tenistas, golfistas e praticantes do esporte.

Depois da Primeira Guerra Mundial, com uma grande crise instalada, foi o momento que as mulheres -até então donas de casa, precisaram literalmente arregaçar as mangas e sair em busca de trabalho. Então fizeram da camisa branca um uso mais constante e comum.

MODA ATEMPORAL

Virou moda no corpo de Coco Channel, que revolucionou seu tempo, ao adotar roupas masculinas. Foi ela uma das primeiras mulheres a reconhecer a praticidade e beleza dessa peça.

Após a Segunda Guerra Mundial, os costumes e comportamentos da sociedade mudaram. As mulheres passaram a ser mais independentes e a peça era importante no guarda-roupa feminino.
Quem emprestou glamour a camisa branca foi Audrey Hepburn.

A atriz, ícone do bom gosto e elegância, vestia a camisa de maneira feminina, indo além do óbvio.

No início dos anos 1980, a camisa branca ganhou mais uma repaginada de estilo com as ombreiras e virou uniforme de trabalho, com referências no “estilo eduardiano”, cheias de rendas e babados, passando um ar de romantismo.
Na década seguinte Marc Jacobs e Narciso Rodrigues fizeram suas versões com propostas modernas e minimalistas.

Nesta época Sharon Stone, no Oscar de 1998, subverteu e impressionou a todos, vestindo uma camisa branca do marido, comprada na Gap, com uma saia em cetim Vera Wang. Seu look foi o “talk of the town” da temporada, mostrando para a camisa branca uma faceta bem  sofisticada.


COMO ESCOLHER A CAMISA BRANCA CERTA

Uma camisa branca de bom corte talvez não mude a vida de uma pessoa, mas sem dúvida poderá facilitar bastante a hora de vestir, por ser um dos básicos mais versáteis do guarda roupa.

Camisas brancas nunca são demais em um guarda roupa.

Existem muitas opções no mercado, mas nem sempre as mais caras significam a melhor escolha. Procure modelagens no estilo masculino social. Nunca sai de moda

Os detalhes técnicos e o tecido nestes básicos são mais importantes que a criatividade.

·       É fundamental que a camisa seja confortável, nem justa e nem larga demais.

·       As cavas devem ter espaço para os movimentos.

·       Busto pequeno se beneficia com bolsos aplicados.

·       Quanto menos detalhes, mais versáteis de combinar.

·       Escolha camisas com botões e costuras na mesma cor

·       A localização das caseas merece atenção. Muito baixas deixam o sutiã a mostra, exigindo os terríveis alfinetes de segurança.

·       Adapte o modelo da camisa ao formato do corpo. Justas para quem está em forma, médias em barriga ou volumes laterais e soltas (modelagens quadradas) para graúdas e mulheres em geral.

·       Seu quer destacar a cintura, escolhas modelagens ajustadas e use as “fraldas” da camisa sempre por dentro do cós da saia ou calça.

·       Se os quadris, coxas e bumbum estão fora das medidas, tente a camisa como disfarce, soltas por fora das calças ou abertas sobre camisetas mais justas e escuras.

Tecidos e padronagens

Os tecidos são os primeiros indicadores da qualidade. Para o dia prefira as camisas de tricoline, oxfordine, sarja ou popeline de algodão, lisas ou listradas. Amassam pouco e são firmes na textura. O fio Tencel também é muito gostoso no contato com a pele. À noite cetim, seda e estampas conferem um toque sofisticado ao look.

Camisas com fio elastano na composição do tecido proporciona mais conforto nas modelagens ajustadas.

Construção

Considere o comprimento. Bainhas que terminam na linha dos quadris, ou acima, ampliam o volume onde encostam. O comprimento para qualquer corpo deve esconder as nádegas.

As camisas de manga comprida podem ser usadas todo o ano, com o charme de dobrar a manga, no verão.

Colarinho

O colarinho é o “colar” da camisa. O tamanho deve sobrar levemente no pescoço.

Deve vestir confortável, macio e bem feito para não repuxar nas costuras.

Colarinhos bicudos alongam os rostos redondos ou grandes e os abertos (tipo italiano) “ampliam” a linha dos rostos pequenos ou finos.

Quem tem o pescoço longo pode usar a gola virada para cima.

Quem tem muito busto ou pescoço curto, deve abrir alguns botões e levantar levemente a gola atrás.

Quinze maneiras de usar a camisa branca

1- Clássica

Com calças de alfaiataria cinza, bege ou xadrez e sapatos baixos.

2- Estilo francês

Com jeans escuros e sapatos de salto alto.

3- Profissional

Com saia justa, tailleur e scarpins.

4- Lolita

Com shorts e sandálias de dedo.

5- Pin-Up

Com uma saia ou calça justa preta e tamancos de salto.

6- Parceira

Combina com qualquer cor inesperada ou peça aposentada no armário por não ter com o que coordenar.

7-Estilo Audrey Hepburn

Com calças corsário e sapatilhas de balé.

8-Romântica

Por cima ou por baixo de vestidos de alça ou camisola (lingerie).

9-Colegial

Por baixo de suéter de decote em v, com gola e punho para fora ou com gravata.

10-Garoto encontra garota

Desabotoada até o mais baixo permitido, com a gola para fora de traje estilo masculino usado com sandálias nos pés

11-Desconstrutivista

Com os primeiros botões fechados, caindo em evasé sobre calça ou saia justa de comprimentos médios.

12-Sofisticada

Com saia bordada ou tecido precioso, sutiã especial sutilmente a vista e colares.

13-Esporte chique

Com jeans largos ou justos caídos nos quadris com tênis nos pés.

14-Maximalista

Aberta no pescoço e com muitas voltas de colar.

15-Minimalista

Conjugada com peças de outras texturas ou propostas na mesma cor ou tons naturais.

INSPIRE-SE:

PUBLICIDADE