PUBLICIDADE

4.0 - MANUALcorpo

Harmonização facial: Dermatologista fala sobre o assunto

O conceito de rosto bonito tem se modificado muito ao longo do tempo. Hoje, o que é valorizado é a harmonia do todo, e não necessariamente ter traços perfeitos. Saímos da ideia de beleza universal para valorizar e aprimorar a beleza que existe em cada um. É aí que entra o conceito da harmonização facial – tema super em alta entre as atrizes, influencers e nas clínicas dermatológicas. Por meio de procedimentos e tecnologias e de (claro!) um olhar individualizado, é possível alcançar equilíbrio estético e funcional. Ou seja, um rosto proporcional e que respeita a genética de cada pessoa.

O dermatologista Gustavo Limongi, Membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, afirma que, muitas vezes, são realizadas pequenas mudanças com resultados, de fato, impressionantes. “São alterações sutis que transformam o rosto da pessoa, deixando-o mais proporcional e bonito”, explica. “E o melhor são realizados procedimentos nada invasivos e sem tempo de recuperação”. Mas é muito importante que o médico escolhido tenha uma grande noção de proporções faciais, além das diferenças étnicas e culturais.

O médico explica que, após uma avaliação criteriosa, é realizado um diagnóstico no qual são selecionados os melhores tratamentos para o caso em questão. Existem dois tipos de procedimentos mais utilizados: a toxina botulínica e o preenchimento com ácido hialurônico. Entenda mais sobre cada um:

A toxina, substância usada para paralisar a musculatura, é indicada para alguns casos, como: maior abertura do olhar, elevação da cauda da sobrancelha, melhora do sorriso – muito realizado em pessoas com sorriso gengival e também com sorriso invertido -, afinamento do rosto, diminuição da porção alar do nariz e melhora do contorno facial. Já, o preenchimento é utilizado ácido hialurônico de densidades diferentes com o objetivo de mudar a arquitetura facial. Ele é recomendado para as seguintes situações:

Aumento e/ou reposicionamento malar – para deixá-lo mais proeminente, adquirindo o famoso “efeito blush”;

Projeção do ângulo da mandíbula – para evidenciar essa região e melhorar o contorno da face;

Aperfeiçoamento da proporção dos lábios, do queixo e até mesmo da estrutura da testa e da região dos olhos;

Mudança no formato do nariz – para disfarçar ossos salientes e também dar o efeito de nariz mais fino;

 

Foto: Pixabay

PUBLICIDADE