PUBLICIDADE

ARQUIVO ///

Ana Cristina Rosado

Rio A Pé: um passeio pela cidade maravilhosa sem sair de casa

Conhecer o Rio de Janeiro, sem sair de casa. Essa é a sensação permitida pelo projeto “Rio a Pé”. O projeto, criado há 20 anos, é promovido pela Associação dos Embaixadores de Turismo do RJ, em parceria com o Portal Consultoria em Turismo Bayard Boiteux e a escola técnica de turismo Cieth. O objetivo é fazer com que cariocas e turistas mergulhem, de forma gratuita, pela cidade maravilhosa.

O primeiro tour é uma homenagem ao aniversário do Rio e será realizado, dia 20, via Google Meet, às 15h. A professora de história e guia de turismo, Priscila Monteiro, estará à frente do percurso que passará pela Igreja dos Capuchinhos, pela Fortaleza de São João (Urca), pela Praia do Flamengo e pelo Monumento a São Sebastião. Os interessados, poderão se inscrever via Sympla, através do link  https://www.sympla.com.br/conheca-o-rio-a-pe__1097399

Apenas 40 vagas por passeio.

O ESTADO DO RIO DE JANEIRO SOB OLHAR FOTOGRÁFICO

Quem quiser conhecer o Estado do Rio de Janeiro, terá essa oportunidade a partir de maio deste ano. O livro “Paixão por fotografar o Rio”, de Bayard Do Coutto Boiteux, professor universitário, conta uma série de histórias através de seu olhar fotográfico. O objetivo da obra é fazer com que as pessoas se sintam, ainda mais, motivadas a conhecer as belezas, culturas e costumes do lugar. Entre os locais abordados, estarão a capital, o Vale do Café, Petrópolis e Paraty. Segundo o autor, pela primeira vez em sua carreira literária, um exemplar é elaborado pelo prisma de Crowdfunding. Para participar, basta acessar Livro Paixão por fotografar o Rio | Kickante.

Thalles Luna
lança “Movimento”

Depois do sucesso do Hit Tem Quem Queira que explodiu nas plataformas digitais, o cantor e compositor paulistano Thalles Luna está de volta com um novo trabalho. O artista começou a compor com apenas 12 anos de idade depois de ter perdido o pai, que faleceu quando ele tinha 10 anos de idade. Começar a escrever foi para ele uma válvula de escape, lutando contra uma forte depressão, encontrou na música uma maneira de expressar o que sentia.

Por anos Thalles Luna deixou suas composições guardadas e se especializou em marketing e administração. Mas com o passar dos anos a paixão pela música falou mais alto e em abril de 2019 o artista lançou seu primeiro single, a canção ‘Com Você, uma balada romântica, uma de primeiras de suas composições, que foi escrita quando ele tinha apenas 12 anos. A canção chegou a ultrapassar 40.000 views no YouTube.
Em julho de 2019 o artista lançou ‘Baila Comigo’ com influência na música latina , a canção ultrapassou a marca de 130.000 views.

Em Setembro de 2019 chegou o Reggaeton “Uma Só jogada ” com mais de 210.000 views e em dezembro do mesmo ano , o cantor lançou seu primeiro EP intitulado “Íntimo”, trazendo em versão acústica duas de suas músicas lançadas durante o ano. Hoje o projeto ultrapassa os 50.000 views. Em janeiro de 2020 lançou o hit “Tem Quem Queira”, uma mistura de reggaeton com brega funk que já ultrapassou os 150.000 plays nas plataformas digitais. E ainda este mês de dezembro, o artista se prepara para lançar seu novo trabalho “Movimento volume 1”.

Seguindo a pegada do estilo latino, bem colorido e sexy, difundida pelo astro musical Rick Martin, Thalles Luna está provando a que veio. Ao que tudo indica este Movimento veio para ficar!

Pássaro de Seda

O livro “Pássaro de Seda”, da escritora Isa Colli, é um dos destaques do Anuário 2021 da Associação de Escritores e Ilustradores Infantis e Juvenis (Aeilij). Em sua 7ª edição, a publicação reúne obras para os pequenos lançadas em 2020.

“Pássaro de Seda” passa às crianças lições de empreendedorismo através da brincadeira popular de soltar pipas. A história ensina sobre trabalho em equipe, respeito ao outro e a importância de viver em harmonia com a natureza e os semelhantes. Aborda, ainda, a relevância de se inserir na educação dos filhos os valores do trabalho, da honestidade e dos estudos, ferramentas essenciais para o crescimento pessoal e coletivo.

“É uma honra fazer parte dessa casa, que reúne profissionais que amam e valorizam a literatura. O anuário ficou lindo. Parabéns a todos os envolvidos”, comemora Isa Colli.

O anuário está disponível neste link: https://bit.ly/2LJwJLK

A pedido dos fãs, Planeta das Gêmeas inaugura loja física e virtual

Sucesso entre o público infantil e adolescente, com mais de 13,5 milhões de inscritos e mais de 3,5 bilhões de visualizações no YouTube, o “Planeta das Gêmeas”, canal das irmãs Melissa e Nicolle, criado em 2015, agora tem sua própria loja. A loja foi inaugurada recentemente e fica no Rio de Janeiro, na Barra da Tijuca.

A loja do canal das gêmeas de 13 anos, que é um dos maiores do país no segmento infanto-juvenil, conta com roupas, além de produtos, como acessórios, livros e agendas, que integram a marca “Planeta das Gêmeas”. Segundo a mãe das meninas, a empresária e publicitária Camila Jakubovic, os fãs e seguidores das gêmeas tiveram grande importância para que o projeto da loja fosse adiante.

– Os inscritos gostam muito de como as meninas se vestem e sempre perguntam de onde são as roupas. Então, com a loja, temos a oportunidade de criar modelos exatamente no estilo delas e o público pode encontrar facilmente na loja física ou na loja online. Além disso, teremos um espaço na loja física onde a criança poderá reservar para fazer sua festa de aniversário, nele haverá pista de dança, videokê, maquiagem, foto maluca, além de bolo temático e lanchinho – completa Camila.

Casamentos em 2021 vão ser ainda mais intimistas, sustentáveis e vivos

Todo início de ano surge uma série de tendências que marcarão o mercado de casamentos durante aquele período. Algumas ideias passam como uma onda, mas outras acabam ficando e se aprimoram com os anos. Esse é o caso dos casamentos intimistas, que além de terem caído no gosto dos casais, com a pandemia acabaram se tornando os mais procurados, tanto pelos protocolos de saúde, quanto pela mudança de valores que veio junto com o isolamento social.

Engana-se, porém, quem pensa que, por ser um encontro menor, esse tipo de casamento não demanda os mesmos cuidados de uma grande cerimônia. “O casamento ao ar livre tem esse nome não por ter menos detalhes ou ser mais simples, mas por ser algo ligado diretamente à identidade dos noivos, ou seja, é um evento para casais que querem algo único, que tenha a ver, de fato, com sua personalidade. Não é algo que siga os padrões oficiais dos casamentos mais tradicionais, com a famosa “pompa e circunstância”. É um casamento que prima pela liberdade que os envolvidos encontram em comemorar a união da maneira como realmente desejam”, explica Vanessa Cavalcante, produtora de eventos.

Além da cerimônia menor, os casamentos intimistas normalmente primam pelo minimalismo, sustentabilidade, preocupação com o próximo e a valorização do “ser” e não do “ter”. E esses conceitos, segundo Vanessa, serão as tendências do mercado para 2021. “Me orgulho de dizer que, já em 2019, antes da pandemia, lancei a plataforma #CasarNaPraiaLimpa, bem alinhada com as necessidades do planeta. E para 2021 aposto ainda na Produção Viva, em que as plantas do evento seguem vivos depois do fim desses encontros. A natureza é a melhor aliada em todos os sentidos e precisamos nos conectar com ela na hora de celebrar qualquer momento da vida”, pontua.

A seguir, Vanessa lista oito (8) conceitos que vieram pra ficar com a pandemia e que valorizam ainda mais os casamentos ao ar livre :

1. Livres de padrões – Os noivos buscam a liberdade para escolher os detalhes que querem, tanto na decoração, quanto em relação ao traje, o momento em que se encontram e a hora das fotos. Muitos casais abrem mão, por exemplo, de evitar se ver antes do ‘Sim’ e já chegam juntos;

2. Comprometidos com as suas verdades – O casal é protagonista total do casamento. Portanto, se a ideia é receber as bênçãos em contato com a natureza, tomando um banho de cachoeira para celebrar; durante o café da manhã, com o sol nascendo, tudo bem. O importante é que seja uma cerimônia alinhada com o que aquelas pessoas que estão se unido acreditam;

3. Artesanal – Itens de crochê, bambu, madeira, flores secas entram no lugar de papéis, plásticos, metais e flores retiradas da natureza. A ideia é usar itens que podem ter vida útil por anos após o evento;

4. Local sob medida – por normalmente serem bem menores que os casamentos convencionais, os intimistas podem acontecer no lugar que o casal escolher, seja um bar ou restaurante que marque a história dos noivos, em um terraço ou jardim pequeno que traga boas lembranças, em uma pousada que tenha um charme extra ou qualquer outro local que acomode o número de convidados com conforto, mas de forma que todos se sintam parte da festa. E um detalhe: com a pandemia, a busca por espaços bem ventilados ou ar livre é absoluta;

5. Intimidade – até mesmo os registros mudaram. Fotos mais emotivas, do toque, do olhar. A chegada dos noivos juntos para o “Sim” e até mesmo detalhes na decoração que fazem parte do cotidiano dos dois, como porta-retratos ou artigos importantes para o casal, podem participar do grande dia;

6. Só entra quem realmente faz a diferença – Como os noivos estão ‘preocupados’, de fato, apenas com a alegria e a emoção do momento e em dividir isso com quem faz parte de sua história, não há convidados por conveniência ou uma lista social. Só está ali quem realmente faz parte do convívio e é importante para ambos – durante a pandemia, essa lista tende a ficar ainda mais reduzida do que antes, por questões dos novos protocolos de saúde;

7. Música a comida que são a cara do casal – Como são os noivos que escolhem cada detalhe com a organização desde o início, tudo que será oferecido aos convidados, desde a comida e bebida a serem servidas até a música que vai tocar durante todo o evento, passa pelo crivo do casal, que, por sua vez, conhece cada convidado e sabe o que agrada a todos;

8. Produção viva – Atitudes sustentáveis, como evitar desperdício e uso de plásticos, estão em alta e vieram para ficar. E a Produção Viva prima exatamente por aí, uma decoração com elementos vivos que possam ser reintroduzidos à natureza após enfeitarem essas festas. Para isso, são usadas flores e plantas em vasos (plantadas) ou raízes e orgânicos que possam ficar na água e serem plantados depois do evento, como orquídeas, kokedamas e folhagens diversas.

PUBLICIDADE