PUBLICIDADE

Ana Cristina Rosado

Ana Cristina Rosado

Roberto Cohen

Adriana Souza

Monalisa Fagundes

Margareth Dalcolmo

Personalidades recebem o título de Embaixadores de Turismo do Rio no domingo

Por iniciativa do Portal Consultoria em Turismo Bayard Boiteux e da Fundação Cesgranrio, no próximo domingo, acontecerá o Prêmio Embaixadores de Turismo do Rio – uma homenagem anual às pessoas que contribuem, através de suas atividades profissionais, para uma melhor percepção positiva do Rio de Janeiro.

O júri que escolheu os agraciados foi presidido pelo professor Carlos Serpa, presidente da Fundação Cesgranrio, e é integrado por Viviane Fernandes, Cristiane Michelin, Claudio Castro, Clóvis Casemiro, Jose Hilario, Cocco Barçante, Vinicius Fernandes, Sergio Chamone, Claudia Januzzi, Liberado Junior, Paulo Atzingen, Marcos Neves e Bayard Boiteux.

Na edição 2021, que continua virtual, os escolhidos foram Adriana Souza (Chef do restaurante Empório), Alexandre Cavalcanti (American Airlines), Antônio Queiroz (presidente da Fecomércio RJ), Cláudio Crispi (Médico), Cláudio Nascimento (Fundador e Coordenador da parada LGBTI de Copacabana), Eduardo Wanderley (Petrogold), Evandro Junior (Artista Plástico), José Augusto Wanderley (La Grande Vallée – Pequeno Príncipe), Margareth Dalcolmo (Médica e Pesquisadora),  Monalisa Fagundes (Portal Rotas do RJ), Rosa Masgrau (Mercado e Eventos), Orlando Giglio (Iberostar), Paulo Roberto dos Santos (Fazenda Florença), Roberto Cohen (Cerimonialista), Solange Mano (Artista Plástica), Suzi Clementino (Restaurante I Piatti), Urubatan Helou (Braspress), dentre outros importantes nomes.

MOVIMENTO ROCINHA PASSA FOME

Sommelier ex-morador da Rocinha lança campanha de combate à fome às vésperas da Páscoa

Com o objetivo de doar mil cestas básicas no valor de R$ 50,00 (cada) para a população carente da Rocinha e ajudar no combate à fome, o premiado sommelier carioca e ex-morador da comunidade, Dionísio Chaves, e Wallace Pereira (ex-presidente da Associação de Moradores da Rocinha – Grande liderança local) resolveram unir forças. “Estamos com 899 pessoas cadastradas e o critério é ajudar quem está desempregado passando necessidade nas áreas mais carentes da comunidade”, revela Wallace.

A iniciativa conta ainda com a participação do fotógrafo e autor de livros Eurivaldo Neves Bezerra, que cedeu uma obra para arrecadar fundos por meio de um leilão. “O quadro, que leva o nome Dionisio 1, retrata o Cristo Redentor abraçando a favela”, diz Eurivaldo. As doações serão online, via cartão de crédito, por meio de link no site do Instituto Bees Of Love.

Segundo Georgia Buffara, fundadora do Bees Of Love, o objetivo da causa é de transformação e, com esse movimento, vamos mostrar a felicidade das famílias recebendo cestas básicas. Fome é um assunto sério e a pandemia do coronavírus fez com o que o problema se agravasse nas favelas.  De acordo com um levantamento nacional da Central Única de Favelas (Cufa) 68% dos moradores, de 76 favelas no país, não tem dinheiro para comprar comida.

Para quem quiser doar, o cadastro e as doações serão realizados no site da instituição Bees Of Love: www.beesoflove.com.br. Para saber mais informações sobre o Movimento Rocinha Passa Fome: (21) 98602-4349.

As cestas serão entregues aos moradores das regiões mais carentes da comunidade (Roupa suja, Vale Verde e Roça) no dia 1 de abril, às 9h, na Acadêmicos da Rocinha. Para a ocasião haverá distanciamento social, entrega de álcool gel e máscara descartável como medida de proteção ao vírus Covid-19.

Jornalista e pesquisador, Pedro Barreto Pereira

Editora UFRJ lança Notícias da Pacificação

 

           Notícias da pacificação: outro olhar possível sobre uma realidade em conflito, livro do jornalista e pesquisador Pedro Barreto Pereira, publicado pela Editora UFRJ, acaba de ser lançado e está à venda no site da Editora, nas lojas da Livraria da Travessa e na Livraria Antonio Gramsci.

          E por que falar sobre as Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) no Rio de Janeiro anos após o seu ocaso? O questionamento que o autor propõe é justamente sobre a possibilidade de outros e distintos olhares sobre essa questão. No livro, Pereira conta o início e o fim da principal política de segurança pública fluminense, entre 2008 e 2016, sem deixar de lado os aspectos tangenciais, como a realização dos megaeventos e o processo de modificação do espaço urbano.

          Na obra, que é resultado de sua tese de doutorado, o autor investiga de que maneira o processo de produção jornalística contribuiu para a legitimação discursiva das ocupações policiais nas favelas cariocas. Recorda também outras políticas de segurança pública, antes e depois das UPPs, cujo discurso midiático influenciou o modo como o grande público as interpretou.

          Pedro Barreto Pereira é jornalista, doutor em Comunicação e Cultura pela Escola de Comunicação da UFRJ, coordenador do curso de extensão Mídia, Violência e Direitos Humanos e pesquisador de pós-doutorado do Programa de Pós-Graduação Mídia e Cotidiano da UFF.

PUBLICIDADE