PUBLICIDADE

ARQUIVO ///

Mãe e pai em uma só

Por Graça Suleiman*

Rita de Cassia Cruz Isidoro se envolveu emocionalmente muito cedo. E como resultado, engravidou de Hynga. Mas, mesmo tendo a negativa total do pai, que se negou a assumir a filha, Rita não se deu por vencida e com todas as dificuldades, criou Hynga. É gratificante descobrir a força que brota na mulher quando ela tem que assumir determinada questão e foi isso o que ela fez.

É emocionante e empolgante saber que a determinação aliada à coragem e ajuda de Deus nos fazem vitoriosas! Confira o depoimento a seguir:

“Conheci o pai da minha filha no dia 23 de dezembro de 1984. E começamos a conversar, logo começamos a namorar. Quando fiquei gravida, ele logo recursou e disse que não era o pai da minha filha. Ela nasceu no dia 1 de junho de 1986.

Nesse meio tempo eu já trabalhava e graças ao apoio dos meus pais, que me deram todo o suporte e principalmente muito amor e carinho, foi tranquilo enquanto eu trabalhava e eles ajudavam na criação da minha filha. Só que Deus preparou uma peça: meu pai veio a falecer em dezembro de 1987. Daí em diante ficou um pouco complicado. Mas, minha mãe e eu fomos fortes na criação da Hynga e minha prioridade sempre foram os estudos e sua educação.

Quando chegou a hora da faculdade foi uma grande batalha, pois ela queria fazer jornalismo. Só que naquele momento eu não tinha condição de pagar. Foi quando eu tive a ideia de perguntar para ela qual seria sua segunda opção. E ela me disse que era História.

Então, ela fez a licenciatura de História que foi a faculdade que eu puder pagar para ela. E eu disse: quando você se formar e puder dar aulas, vai ter condições de realizar o seu sonho de fazer a faculdade de jornalismo. E assim foi o que aconteceu, ela conseguiu se formar jornalista!

A mensagem que eu passo é que devemos criar nossos filhos na realidade, dando espaço para a vida, dando limites, sempre respeitando e ensinando a dar respeito ao próximo. Educar para quando chegar na fase adulta estar preparado para caminhar sozinho”.


*Maria da Graça Rennó de Oliveira Suleiman é blogueira e jornalista profissional diplomada pela FIAM.

PUBLICIDADE